Diversidade ou o velho e o novo

Casal Gay
Um jovem não pode ser envolver por um senhor e vice-versa?

Juntamos um grupo de amigos e fomos até o La Tartine, Bistrô delicioso na Consolação. Um de nossos amigos é estrangeiro, inglês, e comecei com ele uma discussão: no ponto de vista do gringo era um absurdo um jovem de 20 anos ter um relacionamento com alguém de 60 anos. Fiquei um pouco incomodado com a afirmacão por conhecer um casal de amigos (muito amigos) que tem uma diferença grande de idade entre eles. Não sei se vinte ou trinta anos, o que na realidade nunca importou.

Para alguém ter afeição ou algum tipo de relação precisa julgar pela idade? Não sei se agarrei essa “causa” pelo fato de estar com os meus 34 anos e já não fazer parte do grupo dos vinte e poucos (creio que não), mas rebati suas afirmações com uma porção de força.

Não basta lidar com uma sociedade cheia de limites, regras e condutas morais muitas vezes sem propósito? Não sou partidário a anarquia, mas julgar a qualidade de relacionamentos afetivos pela idade me soa como ignorância. Pois bem, gringo inglês também pode ser ignorante! (RISOS)

Tirando também a possível parcela preconceituosa sobre o amigo-inglês, acho um pouco radical repudiar relacionamentos entre um senior e um jovem. Não conheço nenhum relacionamento afetivo no qual ambos não estejam juntos por vontade. Ok, a vontade e os interesses nem sempre são claros, mas esse tipo de incerteza pode acontecer em qualquer relacionamento, em todos os níveis.

Sou partidário a diversidade. Duas pessoas que se beneficiam igualmente de um relacionamento já basta. E ponto.

Os moralismos podem nos confundir um pouco. A qualidade do relacionamento entre duas pessoas não está na raça, credo ou geração. As pessoas se envolvem, as vezes, por ideais de vida, afinidades muitas vezes subjetivas que não se expressam na fisionomia do velho ou do novo.

Sim, esse post é um brinde a diversidade! A gente precisa “abrir o olho para pensamentos estranhos”.

Deixe uma resposta