Pensamentos em versos

No quatro, dentro de mim, tranco as emoções.
Vou para a sala e só apresento parte do que sou, migalhas.
Aprendo a reprimir para me preservar.

Um dia, saio da casa e algumas vozes me chamam.
Para onde, não sei bem, mas de alguma maneira me encantam.
Posso tocar o obscuro que a princípio me parece estranho.
Estranho, que as vezes repele e as vezes seduz sem tamanho.

Me permito a ouvir mais delas, daquelas vozes, aos poucos.
Me permito a olhar. O que vejo até invejo.
O que sinto não tem forma e vez ou outra me transforma.

Vou para a rua para experimentar mais um pouco.
Me encanta as luzes, são telas em movimento.
Me encanta o cheiro que chega com o vento.
No quarto, dentro de mim, percebi que tem janelas.

Deixe uma resposta