Dificuldades no relacionamento gay

Antes de mais nada, coloque uma coisa na sua cabeça: não existe dificuldades no relacionamento entre gays! O que existe são dificuldades entre qualquer casal. Existem problemas, existem conquistas e sim, existem algumas nuances, mas que não torna o casal gay exclusivo.

Fui casado há três anos e posso colaborar aqui com algumas reflexões. O grande desafio da vida não é conquistar boas colocações no trabalho, nem ser feliz com os amigos. O grande desafio na vida é o de se relacionar intimamente, seja com homens, mulheres, pais ou filhos. As pessoas, no geral, tem dificuldades de se expressar e expor a intimidade sem barreiras para aquele com quem gostaríamos de construir uma relacão íntima. Isso tudo, tem a ver menos com a nossa sexualidade e muito mais com dificuldades humanas. Dificuldades em falar, dificuldades em se expressar ou se expressar equivocadamente podem gerar conflitos em um namoro ou casamento.

É um clichê falado e pouco praticado: muitas vezes a gente esquece que o diálogo é o melhor jeito. Normalmente pecamos por falar demais ou omitir. Na minha opinião, omitir acaba sendo pior: deixamos aprisionados desejos, vontades e pontos de vista. Acabamos preservando demais o outro ou acabamos agindo individualmente, fora das vistas do parceiro, e não nos permitimos conceber uma relação em sua totalidade. Por outro lado, se falamos demais, podemos impor e criamos uma falsa sensação de controle.

Em um relacionamento mais equilibrado esses conceitos são mais amenos.

Relacionamentos, muitas vezes, acabam caindo no plano da idealização. Sem querer, nos deixamos envolver por uma pessoa que não existe, mas que é ideal. Nos primeiros anos de um namoro é normal fantasiar, a paixão faz assim e é tão bom que seja!

Mas e quando a paixão acaba? O fim da paixão tira a validade e o valor do que foi construído junto? Tira a autenticidade do que a relação será?

Para muitos o final da paixão representa o fim da relação. As pessoas têm uma mania e, sim, é mania de achar que um relacionamento só é válido quando estamos apaixonados. Acontece só que a paixão é a base da montanha.

O primeiro tópico da cartilha é “Aprendendo a se relacionar”.

O brasileiro tem outra mania: se o sexo está morno é porque a relação está acabando. Valorizamos a quantidade de sexo, a frequência intensa e esquecemos que essa máquina, cedo ou tarde, vai precisar de óleo. Esquecemos que a máquina, se a cabeça não está boa, não funcina bem. Quando solteiros, passamos meses sem um sexo contínuo e, quando estamos juntos, a falta de sexo já cheira problema. Estamos sempre exigindo! Acabamos ainda nos apegando demais em pontos idealizados ou esteriotipados: relacionamento só é bom quando tem sexo constante, quando existe paixão e quando o relacionamento está nas nuvens. Diz o conto da cinderela que é… bull shit.

Isso tudo é muito raso e normalmente quem valoriza esses conceitos são aquelas pessoas que nunca construíram efetivamente uma relação de fidelidade. Fidelidade é mais do que preservar-se a uma única pessoa.

O amor é subjetivo e com múltiplas definições. E, dentro da gente, a representatividade do amor muda também. Hoje, posso dizer que amor é quando duas pessoas, juntas, tornam-se indivíduos melhores. Sim, mais um clichê, mas o amor efetivo, real, longe das aventuras idealizadas, transforma. Numa boa relação nos superamos, nos propomos a desafiar nossos medos para nos tornar indivíduos mias conscientes e íntegros.

As dificuldades de um casal começam normalmente quando não estamos mais guarnecidos pela aura da paixão. Deparar com o real, com os defeitos e descobrir que existem necessidades de concessão, parece ser algo penoso. Descobrir que o príncipe tem um pé de sapo é difícil.

Pois bem, relacionamento exige esforço? Sim, mas é diferente de carregar uma pedra. Para o relacionamento ficar melhor precisamos desapegar de nossas manias, superar nossos limites e parar de achar que o problema é o outro!

No seu relacionamento, já parou para pensar que o problema pode ser você?

2 comentários Adicione o seu

  1. cnas1987 disse:

    Muito bom o texto! 👍😉

Deixe uma resposta