É possível dois homens se amarem?

Algo muito procurado no meio GLS é o amor. A princípio, essa frase pode soar piegas, mas muitos homens, de fato, procuram em outros homens o companheirismo e um relacionamento mais íntegro e seguro.

De uma maneira geral, jovens entre 18 e 26 anos, que fazem parte de uma geração mais individualista, tem como questão a dificuldade de encontrar um relacionamento mais maduro. Essa situação é comum no meio heterossexual e homossexual. Meu namorado, que está com quase 27 anos tem um grupo de amigos na mesma idade que, afirmo, namoraram alguns meses ou até mesmo nunca namoraram.

Ao contrário da minha geração, que hoje tem seus 34 anos, e que a grande maioria na época dos 25 já namoravam ou estavam noivando, a nova geração Y ou Z nasce em um cenário de pais que perpetuam o tempo com seus filhos dentro de casa, para além dos 30 e poucos anos, formam jovens aptos ou muito aptos profissionalmente mas que não sabem ou não tem a simplicidade para construir relacionamentos mais duradouros. Essa geração é, no geral independente, individualista e prioriza o crescimento profissional (como se não fosse possível colocar um namoro no meio). No campo de relacionamento são inseguros, inexperientes e até medrosos! Associam, muitas vezes, o namoro com um tipo de prisão e tratam o sexo como um “produto”: usou, perdeu a graça.

Só que esse modelo cansa e, quando cansa, mal sabem por onde começar. Para construir um relacionamento mais profundo é necessário disposição, manha e, sim, talento! (RISOS). O gay que consegue um relacionamento, hoje, vive um diferencial!

é possivel homens se amarem
Símbolo

Nos preocupamos tantas vezes em ganhar dinheiro, alcançar um melhor status na profissão e cultivar amigos em quantidade que esquecemos do simples, do íntimo ou do intimista. Não sabemos dos prazeres do convívio de um casal, da superação mútua, do amor. Nos tornamos indivíduos impecáveis, mas falhos quando o assunto é compartilhar ou conceder. Dá aquele vazio no peito, não? Daí a gente busca suprimir na academia, na balada, num papo furado com os amigo, em compras ou numa viagem. A sensação da solidão passa por um tempo e, quando você menos espera, volta novamente.

Para mim, esse vazio é a ausência do amor. Ou melhor, é a falta de jeito para nos deixar envolver por alguém. Precisa ter jeito? Precisa! Precisa é sair desse “status” rígido e esteriotipado que você mesmo construiu.

Meu namorado tem seus 27 anos e se considera “das antigas”. Quando ele diz isso, não quer dizer brega, piegas ou fora do que é “moderninho”. A gente é besta por achar que o “moderninho” não pode amar. Besta por achar que o “moderninho” precisa ser cool, limpo, sorridente e sintonizado com tudo. Estar na moda, antenado e sem ninguém para te condicionar a nada. Condicionar?

Não se engane: saber fazer concessões é dar espaço para que uma outra pessoa te preencha para além de você. Quem está se condicionando talvez seja você mesmo. Falta só colocar a etiqueta e mandar embrulhar!

Gostar, se envolver, não tem que estar na moda.

13 comentários Adicione o seu

  1. Peter disse:

    Ótimo post! Bom, eu tenho 27 anos e digamos que estou bem em cima da linha “geração Y”. Quero sim sucesso profissional, mas também quero um amor. Meu caso piora pois sou gay no armário, e encontrar uma pessoa bacana nessa situação é praticamente impossível… é difícil assumir quando família, amigos e religião fazem parte da sua vida….

    1. minhavidagay disse:

      Oi Peter,
      tudo bem?
      Realmente, no Brasil é mais complicado assumir para família e amigos, principalmente numa cultura na qual a religião católica diz: “É pecado”. Existem muitas pessoas como você, “no armário” e que devem buscar por afeto, companheirismo e o amor. Torço para que pessoas como você, que visam um relacionamento, alcancem essa oportunidade. Na realidade, mais cedo ou mais tarde vem. Aos poucos você vai ganhando sua independência, assumindo com mais clareza seus direitos de escolha e, de certo, vai poder procurar.

      Seja feliz! :D

    2. Thiago disse:

      Ola Peter!!!! Me encontro na mesma situacao. Religiao, familia
      E amigos, tem que ter muita cabeca….boa sorte!!!

  2. Amauri disse:

    Olá… fiquei abismado quando começei a ler o post, pois me encaixei exatamente no que foi dito. Realmente a procura de alguém para completar o que o trabalho, os amigos e as distrações deixam de lacuna é muito difícil, e acredito que essa dedicação total a isso seja até mesmo por defesa. Me apaixonei algumas vezes quando mais jovem, e foram todas frustantes. Hoje, com 25 anos, sonho em encontrar alguém que realmente possa fazer parte da minha vida, de forma carinhosa e campanheira. Será que esse dia vai chegar? Ou onde é que estou errando?

    1. minhavidagay disse:

      Difícil dizer onde está o erro, Amauri, se realmente existe erro. Mas uma coisa é certa: a gente precisa arriscar mais e dar a oportunidade de viver experiências, conhecer referências e, assim, buscar nossas seguranças para saber realmente o que a gente quer, o que a gente procura e quem a gente busca. A vida, seja no trabalho, nas relações de amizade e nas distrações, é um acúmulo de experiências. Precisamos sempre tentar. Não é somente no meio GLS que relacionamentos amorosos e namoro são os desafios. A sociedade moderna está mais aberta e mais esclarecida. Mas ao mesmo tempo, mais individualista também!

      Abraço!

  3. Deco Bahia disse:

    oi… li seu texto… li a mensagem do leitor ‘peter’… e me identifiquei com tudo q disseram… tb estou ‘no armário’, e aos 40a ainda é dificil pra mim ter um relacionamento estavel com alguem pq as cobranças são grandes, principalmente qdo uma das parte já resolveu isso na sua vida…. enfim, ainda espero ter a sorte de um amor tranquilo… abç.

    1. minhavidagay disse:

      “Eu quero a sorte de um amor tranquilo, com sabor de fruta mordida”… de uma maneira geral buscamos uma tranquilidade em todos os aspectos da vida: trabalho, saúde, finanças, e não seria diferente no amor. De uma maneira geral, o que precisamos é viver. Viver, acumular experiências e nos dar mais oportunidades. Boa sorte! :)

  4. Escorpio disse:

    Gostei do seu blog, você têm umas idéias bem interessantes.
    Parabéns e continue escrevendo!

    1. minhavidagay disse:

      Olá Scorpio. Obrigado pelos elogios. Continue acessando o blog. O objetivo é sempre levar mais reflexões para os usuários que buscam por esclarecimentos e pensamentos sobre o meio. Abs!

  5. Dan disse:

    E acho que isto fica ainda mais dificil entre os gays não-efeminados, como é o meu caso. Como abordar outro homem (que eu tenho quase certeza que é gay) de uma forma natural, sem deixar de ser como eu sou? Às vezes eu acho que tento fazer com os homens aquilo que um homem faria para conquistar uma garota. O problema é que os homens nem sempre entendem as sutilezas das coisas… Ainda estou muito confuso a respeito disto…

    1. minhavidagay disse:

      Oi Dan,
      sobre flertar ou abordar uma pessoa interessante, acho importante agir com naturalidade. “Trocar ideia” e, muitas vezes, mais agir do que falar! rs. Fora do meio gay, quando a gente não sabe se a pessoa é ou não é fica um pouco mais difícil mesmo. Mas no meio, quando sabemos que todos frequentadores tendem a ser gays, o que mais vejo por aí são pessoas trocando olhares, se aproximando e rolando o beijo com pouca conversa.
      De qualquer formar, naturalidade é a palavra, sem buscar rotular se é um jeito para abordar uma mulher ou um homem. Apenas um jeito para chegar numa pessoa.

      Abraço!

  6. Josimar disse:

    Olá, gostei muito do sait. Tenho 18 anos faço 19 esse ano, meu caso é igual o do Peter, minha familia é estremamente religiosa, tenho um amigo que sabe sobre mi, meu melhor amigo, quando ele souber, ( eu contei a ele em um momento de angustia ) ele mei que se afastou de mim ficou com receio de falar comigo, depois ficou tudo bem, ele so me advertio, pra mim não se envocar com ele se não a coisa ia ficar feia(kkkk), enfim tenho medo de ser desprezado por meus amigos familiares etc, não sou afeminado, e nuca tive relacionamento com nenhum outro homem acho q por medo, ja tentei ingnorar isso, mais não dar cinto atração por homens. Eu so queria dar um fim nessa angustia, solidão, vivo em um mundo preto e branco. É muito ruim.

Deixe uma resposta