Homofobia: cresce o número de crimes contra homossexuais em São Paulo

Que país é esse que está sendo palco a agressões e ataques contra homossexuais nos últimos meses. Como devemos lidar com isso?

Tudo leva a crer que a intolerância humana com as diferenças nos coloca a níveis primais, não muito diferente dos bichos. Porém, essas situações recorrentes de ataques a gays na região da Paulista nos tornam seres inferiores, já que os animais agridem e atacam numa simples relação de cadeia alimentar. O ser humano agride com a consciência de que faz por repúdio ao o que lhe aparenta diferença, pecado ou imoralidade, conceitos bem humanos.

O quanto devemos ser tolerantes as agressões contra homossexuais?
Homofobia com agressão. Quanto devemos ser tolerantes?

Quanto devemos ser tolerantes a situações de agressões físicas e morais? Tem vezes que eu acredito no “olho por olho, dente por dente”. Tem vezes que ter fé na evolução humana parece o melhor caminho. Agressividade e intolerância são frutos da natureza humana. E quais são os frutos positivos, opostos a ações e reações desse tipo?

Talvez o fruto oposto seja acreditar que necessitamos viver numa comunidade em harmonia. Parece até papo de religião mas, nós, seres humanos, bichos como somos, sabemos que vivemos muito melhor nos agrupando, formando comunidades e manifestando nossos pensamentos a favor ou contra determinadas atitudes. Fazemos amizades e vivemos em família por pura necessidade humana.

Gosto muito desse país e me refiro principalmente a São Paulo, cidade em que nasci e morei todos os meus 34 anos. Gosto das qualidades da capital, dos bares, restaurantes, cinemas, parques, avenidas e ruas. Gosto da beleza da diversidade vista nas ruas, entre meus amigos e familiares. Mas ao mesmo tempo, viver numa cidade como essa – grande, mista e sem uma unidade cultural – faz com que guetos e ideologias radicais, como as do Skin Heads, provoquem esses tipos de transtornos. Ao mesmo tempo que é um país belo pela diversidade cultural, de gente que veio de todos os cantos do planeta, é feio, sujo e intolerante pela mesma diversidade. Eis o paradoxo do Brasil, eis o paradoxo do nosso próprio berço.

Antes de ser gay ou bicha, sou homem e, com a mesma raiva e intolerância de agressores, posso agredir também pois está dentro de mim ímpetos primais, assim como um “careca do ABC”. As vezes, penso que atitudes radicais contra atitudes radicais sejam a melhor retribuição. As vezes.

Mas, na maior parte do meu tempo, penso que a agressão me coloca na mediocridade ou abaixo dela. E a agressão é cega, tão cega como o caso recente de Skin Heads atacando erroneamente um heterossexual. A agressividade tem uma pincelada expressiva de covardia. Duvido muito que apenas um indivíduo Skin Head teria “a manha” de agredir três homossexuais andando pela Avenida Paulista. (Joguem ele no meio da The Week, façam ele subir no “queijo” e ficar pelado. Vamos ver se ele também raspa os pêlos da genitália!).

Tanta coisa para engrandecer esse país, para desenvolver e melhorar, e garotos desse tipo – com cabeças raspadas – usam seu tempo para mirabolar planos contra outras pessoas… não tem mais o que fazer na vida? Talvez não tenha. Talvez mereçam viver nesse limbo familiar, excluídos, por toda a vida.

Isso é reflexo de um país fraco, de uma juventude fraca, sem ambição e despreparada mentalmente. E São Paulo vai continuar sendo palco de agressões contra o que é diferente enquanto não houver repressão, enquanto não se forçar os limites.

E, afinal, cabe a quem impor os limites? Falam que é papel do governo e da polícia. Mas tem hora que, sinceramente, dá vontade de usar as forças das próprias mãos. E assim, me tornarei mais um, vítima de uma sociedade corrupta, cruel e imoral.

Por gentileza, chamem o Batman! Ah, sim… dizem que ele é gay também e vai ter orgasmos com as porradas em carequinhas!

3 comentários Adicione o seu

  1. Marcos disse:

    Diga Não Ao Preconceito | Campanha

  2. minhavidagay disse:

    Olá Arthur!
    Porque talvez existam muitos gays que tem uma fixação sexual por gente nova? Difícil definir plenamente a mente humana, seus desejos e fantasias.
    Sexo e desejo sexuais formam realmente um mix muito diverso e, claro, muitos dos desejos quando abertos, conflitam com questões morais e sociais.
    E os gays, nessa onda de precisar expressar, de se colocar socialmente, acabam perdendo a noção de alguns limites, provocam.
    Creio que o assunto abordado por você tenha a ver com esses pontos.

    Um abraço!

Deixe uma resposta