O gay afeminado – Desmistificado!


Namorei com um quando tinha 24 anos e, depois, me “casei” com outro e vivemos juntos por três anos. O gay afeminado é aquele que todos conhecem por representar uma figura mais caricata, divertida, as vezes invasiva e que normalmente chama atenção pelos seus trejeitos, pelo modo de falar, de se vestir, pelas gírias e atitudes que o caracterizam.

Mas existe uma diferença importante em ser afeminado (ou masculinizado) e carregar nos estereótipos!

Assim como o post anterior, que dou meu ponto de vista sobre o “gay masculinizado”, a ideia desse não é reforçar um rótulo, nem subjulgar o indivíduo que é gay, afeminado e que tem seus valores, cultura, hábitos e responsabilidades perante a sociedade. De qualquer forma, o gay afeminado é aquele que vira referência para a maioria das pessoas que não tem conhecimento sobre o universo “GLBT… XYZ” graças às próprias imagens rotuladas que a mídia tanto gosta de criar.

As pessoas no geral, alheias à abrangência homossexual, tendem a achar que o gay, feminino, é o gay e ponto. E isso está longe de ser verdade! Essa ideia é fruto das faltas de envolvimento e conhecimento:

No filme “Brüno”, Sacha Baron Cohen extrapola ao representar o gay afeminado, cheio de trejeitos, manias e excessos. O personagem é desvairado, ninfomaníaco, provocador, obsessivo e repleto dos “rebolados” que reforçam o estereótipo do gay “bichinha”.

Gay afeminado
Brüno – O cúmulo do estereótipo do gay afeminado!

O gay que é mais feminino vira e mexe é alvo da mídia, em filmes, novelas e programas de humor. Em outras palavras, o gay afeminado – por dar audiência pelo humor ou graça – acaba se tornando a referência do que é gay para a grande maioria dos indivíduos que não conhecem mais a fundo nosso universo.

Verdade seja dita: não vou generalizar pois não são todos ou até mesmo são poucos, mas tem gay afeminado que gosta de chamar a atenção. E por chamar atenção com trejeitos, manias e gírias, acabam estampando na sociedade o perfil gay, que na verdade é parcial, ou, não representa a realidade gay coletiva.

Eu diria que o gay que gosta de holofotes, de se autoafirmar – não é muito diferente do torcedor fanático do Corinthians, ou o bêbado chato da balada: pode ser apenas um, mas pelo excesso de expressão ou intromissão acaba por deixar uma marca, uma impressão em quem tem contato e, assim, contribui diretamente para fortalecer o personagem, o estereótipo do gay afeminado.

Será que esse perfil representa a todos? A resposta é clara: não.

Devo ter bastante cuidado para dizer isso, mas os gays que colocam a sexualidade na maneira de ser para o mundo, que se apresentam de forma mais excessiva ou ofensiva, assumem a voz de uma comunidade que é muito mais diversa e ampla. E isso é uma responsabilidade que não é medida.

E aqueles afeminados ou masculinizados que são discretos e não gostam de provocar? Eles existem e são a maioria, mas as vezes, ou muitas vezes, sofrem as consequências do preconceito gerado pelo rótulo de um ou outro indivíduo, e da mídia. Não sei quem mais contribui para isso, se a mídia ou o indivíduo, mas ambos promovem o preconceito e a alienação.

A fundo, no meu ponto de vista, esse jeito de ser tem mais a ver com o nível cultural e de educação de uma pessoa, e não com o que é ser gay, seja masculinizado ou afeminado. Mas, apesar de acreditar nessa ideia, é na maneira que nos colocamos para o mundo que se definem as primeiras impressões. Primeiras impressões tem a ver com o pré-julgamento apenas pelo contato inicial sem se conhecer a fundo e, quando o gay é invasivo na maneira que se apresenta ao mundo, fica difícil querer conhecer mais de perto, afugenta e acaba parando só no preconceito, no julgamento pela aparência.

Obviamente tem heterossexuais, fundamentalmente mulheres, que se identificam com esse jeito expansivo. Mas nesse ponto, mais uma vez penso na identificação cultural.

Assim, esse perfil gay “popular” e reconhecido vira a referência do que é ser gay para a grande maioria. Meu pai hoje mesmo me alertou: “eu não aprovo esse seu estilo de vida. Mas você é adulto e tem que arcar com as consequências” – referindo-se ao preconceito e às dificuldades de ser aceito socialmente, pelas rasas referências que tem somente da mídia.

Outro aspecto que é importante questionar: o gay menos crítico ou menos atento que ainda não se assumiu, por não ter identificação com esse perfil, acaba se confundindo e não se acha gay mesmo se atraindo por alguém do mesmo sexo. Assim, o processo de conscientização e aceitação desse gay, que não se identifica, é mais lento e dificultoso. Não estou dizendo que o gay afeminado é responsável por esses processos, mas o estereótipo afetado pode contribuir e muito: o pai e a mãe fazem piada ou acham uma pouca vergonha, os amigos tiram sarro e, assim, como sair do armário?!

Nós gays, afeminados ou não, temos uma responsabilidade de certa forma: questionar até que ponto essa imagem, do invasivo, contribui ou prejudica. Infelizmente, essa figura meio-homem-mulher recai diretamente naquele que é mais delicado e discreto, que não tem correlação com o estereótipo. Aliás, a maioria não tem nada a ver com isso, mas tendemos a colocá-los nessa caixinha.

O que fazer? Forçar a não ser afeminado? Simular uma masculidade? Bobagem. Afirmo que meus dois ex-companheiros são como são com naturalidade. Mas não deveríamos dar audiência para o uso abusivo dos estereótipos.

Sinto em dizer, mas acabar com a imagem exclusiva da “bicha-louca-master” e informar as pessoas sobre o que vai além das figuras caricatas são atitudes importantes, se a ideia é trazer compreensão. E o que é mais desafiador: quem deve tomar essas atitudes somos nós mesmos, afeminados ou masculinizados.

Eis algumas das problemáticas dos estereótipos.

28 comentários Adicione o seu

  1. Peter disse:

    Acredito que a maior vantagem de um gay efeminado é fato dele ser facilmente “reconhecido” como gay, seja por um outro discreto ou enrustido. Por outro lado, também é reconhecido pelos homofóbicos de plantão, e consequentemente vítima de chacota e pior, violência. A moeda e seus lados…

    1. Marcelo disse:

      Tenho uma pergunta o que e um gay discreto???
      Ouço tanto essa frase, mas simceramente nunca aentendi.
      Da a impreçao de quem e gay assumido, nao e um gay discreto.
      Passa a impreçao de que gay assumido e espalhafatoso, coisa que nao sou apesar de assumido!.
      Obrigado.

      1. minhavidagay disse:

        Gay discreto é aquele gay que pode ser assumido ou enrustido porque ser discreto não tem correspondência com o quanto a pessoa se assume para o mundo.
        O Gay discreto é aquele que, socialmente, não causa nenhuma impressão de ser gay, a não ser pela exclusiva atração por outra do mesmo sexo. Em outras palavras, o gay discreto transmite a imagem da figura masculina mas gosta de outro do mesmo sexo.

        Abraço!

      2. Victor Hugo disse:

        Mas se vc fala que “O Gay discreto é aquele que, socialmente, não causa nenhuma impressão de ser gay,” é como se estivesse falando que gay = ser afeminado, pq se um gay discreto n dá pinta, um gay normal dá pinta?!/ Penso que um gay discreto, assim como qualquer outra pessoa discreta, é um gay q n se exalta e tem bons modos e educação, n precisa entrar nesse esteriotipo sobre feminilidade…

      3. minhavidagay disse:

        Existem gays afeminados e existem gays masculinizados. Existem comportamentos discretos e comportamentos expansivos.

        Feminilidade em si não é esteriótipo pois existem gays afeminados que não são personagens de si mesmo, não provocam preconceito.

        Mas há gays que inegavelmente provocam preconceito pela falta de respeito aos limites do outro.

        O esteriótipo não é construído apenas por aquele que vê mas por aquele que transmite modos que o esteriotipam e o colocam em “caixinhas”.

        Polêmico, mas estou dizendo que em alguns casos o preconceito é provocado.

  2. minhavidagay disse:

    Curti seu comentário, Peter! ;) Precisava ter um botão curtir no WordPress.

    1. Roberto Souza disse:

      Discordo da parte “gays afeminados que não são personagens de si mesmo, não provocam preconceito.” sendo que até o filho do Ronaldinho já foi massacrado nas redes sociais apenas por algumas fotos que ele aparece conversando normal, mas dando um pouco de pinta!

    2. Roberto Souza disse:

      E fora, que eu já vi muito gay discreto passar dos limites, dando em cima de homens que não querem nada com eles, insistindo em algo mesmo que o outro já tenha explicado que não vai rolar mais nada!

      Falo por experiencia própria!

  3. Peter disse:

    Obrigado, cara! Gosto muito do seu blog e da maneira como escreve, me sinto mais próximo das questões GLS assim, já que é um mundo que não tive (e talvez não tenha) a oportunidade de conhecer pessoalmente!

    Abraços, tudo de bom!

    1. Marcelo disse:

      Ola meu querido, boa noite.

      Ja que vc quer se sentir proximo as questoes gays vc deveria comviver com pessoas gays no meio, pois so assim vc tera ideia realdessas questoes!!!.

  4. Marcelo disse:

    Ola sou gay afeminado sim ,mas nao me reconheço nessas tachaçoes como : excessivo, manias, girias…
    Na verdade e que vivemos em uma sociedade extremante preconceituosa e hipocrita, que imfelismente gosta de julgar as pessoas sem ao menos conhecelas, sem se dar a chance de conhecer o carater valores, primcipios…
    Achei imteressante seu texto, mas muito equivocado, em muitos pontos, que simceramente nao vou ditar aqui!.
    Sou afeminado, porem homem e nao abro mao disso, tenho em mim uma feminilidade imenssa e nao me envergonho disso nenhum pouco.
    Vou dizer algo que vejo acontecer muito, o preconceito maior em relaçao aos gays nao vem de fora, mas de dentro do proprio meio!.
    O que faz um gay nao e sua aparencia, mas sim o fato de um homen se atrair sexualmente por outro homen. ou mulher se atrair por outra mulher.

  5. Marcelo disse:

    Ah por favor nao me interprete mal , nao estou te julgando, nem condenando, apenas deixei por escrito minha posiçao.

    Boa sorte no seu site.

    1. minhavidagay disse:

      Olá “Marcelo”!
      Finalmente alguém se colocou contra às minhas afirmações. Mostrar pontos de vista é realmente importante e até o presente momento os usuários que aqui se manifestaram se colocaram muito a favor as minhas ideias, complementando-as, associando referências de vida e tudo mais. Achei bastante importante e válida suas colocações.

      MAS (rs), tenho que me defender que o post em questão desmistifica o gay afeminado! Acho que é tudo questão de interpretação de texto nesse caso. Eu comentei sobre tendências, sobre a existência real e óbvia do gay esteriotipado “bichinha” que não tem como negar. Mas busquei mostrar também que nem todos os afeminados são excessivos, cheio de manias ou gírias! Você leu meu texto até o fim ou já se exaltou antes de termina-lo? rs.

      Bem, de qualquer forma foi o primeiro post que foi contra às minhas colocações, embora os argumentos e pontos sejam contestáveis! Mas valeu pela atitude e por deixar aqui seu registro.

      Abraço!

      1. Marcelo disse:

        Li e reli por 7 vezes do começo ao fim, afim de entendelo completamente, e nao me ofendi com ele, nem tive a imtençao de fazelo a voce querido, situaçao que deixei especfica em meu comentario, so quiz deixar minha posiçao.
        Por favor continue falando do assunto foi muito bom!.
        Nao vejo como algo bom, a ATITIDE dos gays conhecidos como (bichinhas), so me posicionei, pois sou afeminado sim, mas porem homen de verdade que nao tem medo de assumir e deixa aflorado, amostra seu lado feminino e delicado.
        Costumo dizer o seguinte sobre min: (Sou gay sim afeminado assumido, mas porem sou homen cheio e rico em vaolores e primcipios, nao sou uma donzela em perigo a espera do primcipe encantado para der salva, apenas quero e busco por alguem para construir um amor solido e verdadeiro). rsrsrs…

        Vou te fazer uma pergunta, mas nao precisa responder se nao quizer.
        Voce e gay??? E assumido???
        Espero simceramente nao ter te ofendido meu querido!.

        Desejo toda a sorte de DEUS a voce e ao seu trabalho!!!

      2. minhavidagay disse:

        Não me ofendeu de maneira nenhuma!
        Sou gay e assumido sim. Veja mais ao meu respeito aqui: https://minhavidagay.wordpress.com/gay/

      3. Marcelo disse:

        Ah… seria muito bom se voce falase sobre a parada gay, esse carnaval para (viado) que e simplesmente imoral e nao acrecenta nada de bom para a comunidade gay!!!.

  6. Alisson disse:

    Estou abismada com as coisas que vejo, eu nasci e vivi por muito tempo como um gay muito afeminado e ate demais, mas nunca tive vergonha, nunca baixei a cabeça, por muitos anos em minha adolescencia eu era alvo de chacotas e falta de respeito dos outros comigo, eu nunca destratei ninguém, nunca faltei com respeito a ninguém, Nunca!
    Ainda hoje, eu com 37 anos de idade sou alvo de olhares na rua, e sou uma pessoa distinta, não ando fazendo escandalos na rua, não ando chingando ninguem e muito menos faltando com respeito a ninguém. Fiz terapia e descobri que na realidade sou transexual feminina, faço acompanhamento medico e tomo hormonios, sei que sera muito dificil acabar com estes esteriotipos criados pelos outros em pessoas como eu, mas tudo nesta vida passa, tenho ctz! Sabe o que eu acho mais engraçado? Realmente se não fosse por nós, acho que não existiria nada do que tem hoje, nem parada gay, nem leis lgbt, nem nada, na hora de dar a cara para bater somos as primeiras e mesmo assim ainda somos as mais desvalorizadas, pq?
    Sabiam que na Italia o gay afeminado é uma coisa tão rara que quando aparece 1, todo mundo quer? Sei disso pq ja estive la, os homens de la são muito diferentes dos daqui, MUITO!
    Quase todo dia eu recebia uma cantada de algum heterossexual querendo transar de todas as idades, isso em todos os lugares por onde andei, é incrivel, e aqui, é essa pouca vergonha que acontece conosco! Digo isso pq ainda me sinto gay afeminado mesmo sendo transexual. Isso, do gay masculo é uma coisa ridicula, pq no fundo todos vão dar o rabo de qualquer jeito seja para qual homem for, ainda hoje eu vejo que tem heteros aqui que não sabem nada do que seja uma transexual, que vergonha deste pais meu Deus!

    1. minhavidagay disse:

      Oi Alisson!

      Obrigado pelo seu depoimento. Creio que seja o/a primeiro/a trans-mulher que se manifesta no MVG e assim você só colabora para ampliar a diversidade do Blog MVG. Realmente o juízo de valor está diretamente atrelado a cultura de uma sociedade. Quanto não são os trans que vão para a Itália pois lá entendem o transexual/transgênero de maneira mais inclusa? Muitos.

      Fico feliz pelo seu breve relato e torço para que a transexualidade tenha um lugar mais digno na sociedade brasileira.

      Abs,
      MVG

      1. Alisson disse:

        Sim, la eles entendem por outros motivos, percebi que la a familia e a igreja tem uma relação muito profunda com todos e por este motivo nenhum homem tem coragem de se assumir ou se manifestar seja contra a igreja ou contra sua familia, mas estive la e fiquei por um tempo na casa de uma parente minha que vive la com seu marido e familia, eu diria que foi uma viagem de ferias e gostei muito! Mas não é o que eu procuro para minha vida, como disse, fui gay afeminado por muitos anos, acho que ainda continua pois minha transição não esta completa ainda, mas esta andando. Eu trabalho, sou funcionaria publica de carreira, e so quero ser feliz! Eu não queria ver que aqui os transexuais são confundidos com as travestis ou corssdress, isto é ridiculo, nos trans vamos fazer a mudança de sexo e isto é o fator que nos torna trans, enquanto que uma travesti ou crossdress não fará nunca pois ainda sentem prazer com seus proprios penis! De uns tempos para cá, depois do meu inicio de transição eu sai com alguns homens “namoradinhos” vamos falar assim, e homens experientes de cama por sinal pois eram muito mais velhos do que eu, estou falando de 45 anos para la, vc acredita que eles não entendem o fato de eu não tocar no meu orgão genital para sentir prazer? Não entendem isso, eu tomo estrogenios e anti-androgeno, meu penis perdeu a funcionalidade completamente, hoje estou amando que não ejaculo mais e praticamente não fica ereto, isto tem uma função muito importante no meu caso pois na hora da operação a minha glande será transformada em meu clitoris e o meu falo será a profundidade de minha neovagina, é uma coisa muito diferente mesmo, mas acho bom explicar como funciona isto para as pessoas para que elas saibam. Fico abismada que os homens não conseguem entender que não sinto prazer com o meu orgão genital do jeito que ele se encontra, vou sentir muito quando minha neovagina estiver pronta!

    2. Valéria disse:

      Alisson … meu amor, adorei suas palavras, firmes e fortes e com bastante consistência, é isso mesmo meu anjo, eu tbem nunca fiz baixarias alias detesto essas coisas … estive fora um tempo e o que vc disse é pura verdade os sexo masculino propriamente dito lá fora, da um valor um milhão de vezes maior do que aqui, existem aqui muitos homens sem educação, só querem sexo mais nada, sei que queremos um tratamento diferente apesar da situação … essa sociedade nos trata como lixo, e isso me deixa triste muito triste mesmo, como eu queria que as coisas fossem diferentes … liberdade …

      1. Alanis disse:

        Entendi amiga!
        Boa noite a vc..
        Meu nome é Alanis, achei legal seu desabafo…muito importante isso!
        Realmente vc tem razão, a sociedade ainda pensa coisas ridículas da gente, mas por pura ignorância.
        Amiga, li seu depoimento e achei legal, vc deveria continuar seus hormonios, porem passe num medico antes para saber os corretos e a dosagem. Beijos

  7. Odara T. disse:

    Sou afeminado e ja conquistei homens me portando feito louca e tambem discretamente… acredito que tenho mais facilidade por eu ter traços fisicos mais delicados e ter cara de rica!

  8. Valéria disse:

    Boa tarde, queria dizer que sou extremamente afeminado, ser assim para alguns é incomodo, e existe a sociedade que oprime eu sei, também encontrei dificuldades e ainda encontro. Mudei de cidade mudei de emprego, joguei tudo para o alto e hoje me sinto uma verdadeira obra, completamente afeminado, curto tudo que é destinado ao sexo feminino, gosto de fala mansa, gosto de homens educados, gosto de unhas bem feitas, só ando de calcinhas de rendas, tenho 1.88 de altura, olhos verdes, 90 kilos, tenho um pouco de seios que são naturais ( hormônios femininos na região ) vcs acreditam nisso ? acho o máximo … amo loucamente ser tratada como mulher ( apesar de ser homem ) conquisto os homens de tão carinhoso e meigo que sou, alguns acham que podem abusar, mas ai entra um lado mais bravinho meu … rsrsrsrs … queria dizer que gostei muito da discussão de vcs ( no bom sentido ) parabens. Li agora da MVG uma expressão que representa minha pessoa como ela realmente é expansivo, é o que eu sou exatamente … louca por muitas coisas mas prudente nas ocasiões necessárias, adoro quando encontro uma pessoa igual a mim … para conversar e conversar sem limites e descobrir outros mundos … beijos saborosos a todos …

  9. Gostei de como você problematiza os estereótipos e, apesar de concordar com muito do que foi dito, sinto que ficou uma pontinha de “os afeminados deveriam ter mais cuidado na forma como se expressam” e não me sinto confortável quando são ditadas formas de conduta. Pode ser impressão minha apenas, mas, enfim.

    Acho que, como você disse, “Nós gays, afeminados ou não, temos uma responsabilidade de certa forma”. Enquanto os afeminados levantam bandeiras e lutam pela causa com grande entusiasmo, os masculinizados discutem de maneira menos invasiva com aqueles que os afeminados não têm abertura para militar.

    Acredito que os afeminados têm uma função social muito importante no movimento e que fazem muito bem, que é o de assertivamente dizer que existimos e que não devemos ser escondidos. Além disso, os masculinizados também têm sua função social e é responsabilidade deles (eu, incluso) de mostrar aos que fazem parte do nosso ciclo social que não existe apenas um tipo de gay, que somos, como você disse, uma diversidade.

  10. Vini disse:

    As vezes eu nem me sinto parte do grupo lgbtq, porque os proprios gay acham que os afeminados são todos iguais e escandalosos que vestem roupas estravagantes e causam confusão, e como o mundo é grande logico que vai ter afeminados que não tem rotulos, eu por exemplo sou timido e não saio muito de casa, não me visto de roupa de mulher mas ainda sou um. o maior problema e que eles acham que eu quero ser mulher, mas eu só me visto e pareço com uma sem maquiagem ou vestido, enfim não quero controlar niguem a namorar afeminados, mas que coloque em mente que nem todos são rotulados.

    1. minhavidagay disse:

      Perfeito, Vini!
      Muito obrigado pelo curto mais esclarecedor depoimento.

      Flávio

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s