Agradecido por ser gay e além

Agradeço ao meu ego por reservar um canto para Deus. Por me fazer entender que livre arbítrio não significa estagnar, vítima das ações e reações externas, acomodado, projetando em outras pessoas a culpa daquilo que não me agrada ou que não funciona como quero. Agradeço a Deus e ao meu ego por me ajudarem a não acreditar em imagens religiosas ou templos populares e me fazerem entender que, para ter conexão com o que é espiritual, não preciso de símbolos intermediários. Ou melhor, se a conexão funciona melhor com um símbolo ou por meio de uma pessoa, que sejam de minhas escolhas.

Agradeço ao meu ego e a Deus por ser uma pessoa que tem fé, na crença daquilo que os sentidos humanos não captam facilmente e naquilo que a minha mente e o meu físico são capazes de construir.

Agradeço por não ter nascido numa realidade de uma família totalmente endinheirada, da fama e do status, no conforto extremo que a riqueza pode proporcionar, dos presentes, dos financiamentos práticos para estudos e viagens acessíveis a todo momento. Agradeço por não mais ter o sonho de ter sido assim!

Agradeço por passar por necessidades, pois necessidade e superação são conceitos praticamente indissociáveis.

Agradeço a Deus por não prestar tanta atenção se sou muito rico, ou muito inteligente, ou muito sociável, ou muito criativo, ou muito bonito, ou muito simpático. Agradeço por me sentir bem resolvido para poder ir seguindo, na busca de minhas ambições.

Agradeço a Deus e ao meu ego por ter medo de tudo que é novo. Do novo que quebra padrões, me tira da rotina e as vezes o chão. Mas, mais do que o medo, agradeço pela excitação do desafio que o novo traz e faz o medo ficar diminuto.

Agradeço por ter nascido gay e percebido minhas preferências desde muito novo. Agradeço por ter nascido gay, com desafios peculiares, que nos trazem necessidades específicas e, assim, superações particulares.

Agradeço pela saúde, espírito crítico e uma pitada de sorte que vem aqui ou ali durante a vida.

Agradeço ao meu ego por agarrar os sinais que Deus nos coloca em vida. Ou melhor, agradeço por acreditar que existam sinais e que tenho a sensibilidade para entende-los.

Agradeço por acreditar na ideia de que o que acreditamos passa a ser.

Agradeço por ter nascido curioso, com a vontade de resolver os conflitos, não me esquivar ou postergar.

Agradeço por poder compartilhar conhecimento e ganhos com as pessoas que estão comigo. Agradeço pelo papel de líder profissional e orientador pessoal. Agradeço por ter uma natureza de agregar, construir e ressentir quando o assunto é desfazer ou desmontar.

Agradeço por sentir que, quando perco, o consolo é ser humano.

Agradeço por me aventurar nessas coisas do amor e não ter medo de apresentar a minha intimidade.

Agradeço por ter errado bastante, ter dado muitas cabeçadas por conta desse meu temperamento que todos chamam de forte. Agradeço por transformar meus traumas em inseguranças controláveis.

Agradeço por aprender sobre o valor “imprecificável” do tempo.

Agradeço por não saber se tenho ou não bom senso, mas acreditar que sim, e acreditar que sim tem a ver com acreditar em meu pais.

E agradeço, a todas as forças eu agradeço que ninguém ou nenhuma coisa podem tirar eu de mim.

Deixe uma resposta