Relato gay – Assumir a homossexualidade deveria fluir para todos assim…


…da vida de um gay enrustido para a vida de um gay assumido o processo pode durar meses ou anos. Pode vir só depois de casamentos e filhos, pode vir depois de namoros com mulheres, depois de anos da “assexualidade” e isolamento social e até mesmo depois dos 50 anos. Não existe um tempo certo para promover o “came out” porque isso é muito pessoal, muito íntimo e muito da consciência de cada gay enrustido em compreender a si mesmo e aceitar-se colocando as culpas e os medos em patamares controláveis, projetando menos as boas ou más percepções no que está fora e rompendo com os bloqueios e preconceitos. Mas o ideal, quando um gay resolve se assumir é que venha da forma (ou muito parecido) como relatou um leitor agora pouco em um dos posts.

Dan: “Eu tenho 23 anos de idade e me assumi neste ano! Estou muito feliz, sinto-me livre como nunca me senti antes! É uma sensação incrível… é como se tudo a sua volta ganhasse outro sentido. Sempre soube que eu era gay, mas relutei durante toda a minha adolescência em aceitar esta condição. Agora na universidade, decidi acabar com esta situação de incerteza. Minha mãe e minha irmã foram muito receptivas e compreensivas. Na realidade, ganhei duas novas amigas, pois agora nós três podemos comentar abertamente sobre tudo, inclusive sobre os homens que nós achamos interessantes! Contei para o meu pai apenas há uma semana e ainda não sei bem ao certo a sua reação. Ele disse que me respeita e que nada muda, mas mesmo assim, me pediu para continuar tentando a ter relacionamentos com as garotas! É claro que eu respondi que eu não quero mais isto, mas ele ainda continua relutante… Mas achei que fosse pior, com a possibilidade de ser expulso de casa… Espero que tudo de certo daqui para a frente! Adorei o seu blog. Tem muitas experiências interessantes. Parabéns!” 

MVG: Parabéns a você, Dan, por ser uma das melhores referências reais, aqui no MVG de alguém que acabou com suas fantasias e fantasmas, tomou coragem e encarou a vida gay sem deixar que os medos manipulassem as percepções do real. A dureza, o preconceito e o sofrimento da vida gay existem mais fortemente se elas habitam a gente. Encarar esse realidade com um ponto de vista semelhante ao seu e alcançar esse status de satisfação é a melhor “porta de entrada” para a vida gay.

Para o centésimo post do blog, entro no final de semana mais realizado! ;)

10 comentários Adicione o seu

  1. Legal a historia deste leitor e muito bacana o seu blog Parabéns pelo centesimo post e espero chegar lá também

  2. Dan disse:

    Eu é que tenho que agradecer ao você, MVG… Seu blog já é uma referência para mim! Mais uma vez Obrigado!

  3. Wilson jr disse:

    Como gostaria de me libertar dessas algemas terríveis. No meu caso existem muitas coisas relevantes a isso. Acho que primeiro preciso ocupar meu espaço pra dai sim ‘cantar de galo’, ser quem realmente eu quero ser de verdade.

    E muito bom seu Blog…A partir de agora darei sempre uma olhada quando poder!

    1. minhavidagay disse:

      Obrigado Wilson!
      E boa sorte nas suas escolhas. :)

  4. Michael disse:

    Olá MVG
    Esse seu espaço é otimo para o que estou precisando no momento. Prazer, meu nome é Michael e sou um pesquisador na area dos estudos linguísticos que trabalha com assuntos relacionados aos gays. Eu, atualmente, desenvolvo uma pesquisa que se objetiva analisar de maneira os homossexuais availam a experiência do sair do armário e que expressões linguisticas eles lançam mão para tecer tal avaliação. Mas, para isso preciso de gays que possam relatar a expeiencia. Acho que só atraves do contar a experiencia, é possivel depreender tais avalaições. percebo que esse seu espaço é mto fértil para a construção dos meus dados.
    Por isso, gostaria mto da sua ajuda para eu poder coletar os meus dados e montar o meu corpus de analise. Claro que vc tbm terá creditos na minha pesquisa. Bem, provavel dessa minha pesquisa ser publicada em forma de livro.
    Gostaria tbm do seu consentimento de me deixar dilvulgar esse espaço para aqueles que eu acho que têm pontecial para participar desse projeto. Eles escreveram no seu blog na condição que todos os relatos sejam postados. Mesmo não sendo, pelo menos, sendo enviados para o meu e-mail pessoal.

    Qualquer duvida, não hesite em me contactar por e-mail.
    O meu e-mail estará logo aki abaixo. no campo obrigatório.
    Eu tbm tenho um espaço no wordpress: wisenglishteacher.wordpress.com

    1. minhavidagay disse:

      Oi Michael,
      bom dia.

      Pode utilizar o blog para seus estudos sim. Fique a vontade para convidar pessoas para interagir no blog, relatar seus depoimentos e mandar comentários por e-mail.
      Boa sorte com seu projeto e fico a disposição.

      Abs!

  5. Michael disse:

    Oi, Mvg?
    Eu estou preste a utilizar o seu blog para os meus fins científicos. Entretanto, antes de utilizar esse espaço, eu gostaria de fazer alguns pedidos:
    1- Você poderia apagar os “posts” que se referem à utilização de espaço para a minha pesquisa? Eu gostaria de ter as estórias de forma natural, com nada aki no espaço que indique para fins científicos.
    2- Eu vou escrever um enunciado e gostaria que vc o introduzisse logo em seguida que vc diz se sentir realizado pelo centesimo post.
    Vc teria algum e-mail? o meu vai estar logo abaixo.

    3- Uma alternativa para o #2 seria criar um post só para o meu trabalho, mas, claro sem alarmar mto q é para fins cientificos.

    4- Assim que as pessoas puserem os depoimentos, vc poderia postá-los?

    Mto obrigado pela atenção!

    1. minhavidagay disse:

      Oi Michael!
      Por gentileza, envie um e-mail para queroumtoque@gmail.com para podermos dar andamento ao assunto por lá.
      Vamos tocar seu projeto.

      Abs!

  6. Jeffrey Silva disse:

    Eu tive muita facilidade em contar e meus pais aceitam, conversam comigo e riem de alguns ‘casos doidos’ que me acontecem, mas sei bem o quanto é dificil assumir, pelo que eu vejo meus amigos passarem (como surras, serem expulsos de casa, ofensas fortes, e outras coisas). Mas aqui eu queria dizer o seguinte: NÃO DEIXEM DE SER FELIZES por um detalhe desses! A vida é uma só, e às vezes nos importamos demais com a opinião dos outros, tanto que esquecemos DA NOSSA! Só a gente sabe o que a gente vive e só a gente sabe o que a gente passa. Eu digo que de 100% que conta para a familia só 2% tem a sorte que eu – e alguns – tivemos, mas não podemos nos esquecer que nossa vida é NOSSA vida. Mesmo ‘dentro ou fora de um armário’ temos que ser fortes e lutar pela NOSSA FELICIDADE…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s