Homens gays em busca da felicidade

Um gay tem três objetivos fundamentais durante a vida: entender-se como homem, entender-se como gay e descobrir diariamente o que traz sua felicidade.

A fluência e as fases dessas três variáveis são íntimas, combinadas individualmente sob a genética e as experiências de cada pessoa, o que faz da diversidade uma realidade.

Assim, sob esses três pilares, faço uma breve reflexão sobre ser homem, gay e sua busca pela felicidade.

Quando um homem é gay

Um homem quando é gay passa por diversos estágios ou fases: do descobrir de sua sexualidade, do assumir para a família, da sua relação com amigos, da primeira experiência sexual, das relações de ficante, namorado ou marido, da descoberta dos meios gays, do encontro e reencontro com a diversidade, dos apelos estéticos, das manias, dos hábitos, das saunas, das opções de sexo a três, a quatro, suruba, garoto de programa, sexo amigo, sexo com um casal, das gírias e, principalmente, da descoberta de si mesmo em níveis mais íntimos.

Essas fases podem durar do primeiro despertar do sexo, ainda muito jovem, até o final da vida. Vai depender de cada gay, de suas experiências e da mistura exclusiva de sua genética com as referências de mundo.

Um homem quando é gay “força” o condicionamento de seu gênero (geral) a sua sexualidade (particular).

Quando um gay é homem

Aquele gay que se assumiu para o mundo e para si mesmo passa por diversas experiências sensoriais em tempos e ritmos diferentes que variam de indivíduo para indivíduo, do encontro de si mesmo, da relação familiar, do contato com outros gays pela amizade, pelas transas, namoro e experiências com colegas de trabalho.

O gay boa parte de sua vida ou até mesmo a vida toda percorre os ciclos e etapas de “um homem quando é gay”, nos quais a sexualidade (gay) é a parte em evidência do seu gênero (homem). Assim, gírias, maneirismos, vícios e hábitos ficam mais restritos ao universo de sua sexualidade. São gays que vivem e convivem em predominância em lugares e com indivíduos que compartilhem a mesma sexualidade. Ou melhor, sentem-se mais a vontade quando estão com pessoas “iguais” e em ambientes gays.

Porém, alguns ou muitos gays – não saberia quantificar – passam a viver uma outra fase, no momento que se dão conta que sexualidade está contida no referencial do gênero, que é mais abrangente. Importante dizer que, quando digo “homem”, não me refiro ao “macho-machista”, mas sim a simples abrangência do gênero que não tem sempre uma correspondência óbvia com o sexo e que se pode traduzir em ser humano.

Em outras palavras, o gay quando é homem (ou humano), seja afeminado ou masculinizado, passa a perceber o mundo de maneira mais abrangente. Suas questões e o “ar que respira” não se restringe a sua sexualidade. É o gay que, as vezes, até esquece que é gay e lembra mais que é um profissional e filho, tem primos, tios e até mesmo sogros. Tem amigos da escola, do curso, do colegial e da faculdade que podem ser gays ou heterossexuais.

Tem um ciclo social sem restrições, não fica mais a vontade no meio gay, e não precisa assumir um “personagem” incomodado e parcial quando transita por grupos fora do meio. Esse gay lembra e tem a certeza que a sua sexualidade é íntima e não descaracteriza seu convívio com outros.

O gay quando é homem se incomoda menos com piadas, não se ressente com o que os outros podem achar e passa a entender que a maledicência não é uma característica exclusiva da sociedade e, sim, do ser humano que – no geral – está cheio de perfeições, mas de imperfeições também.

O gay quando é homem sente-se mais autêntico em qualquer lugar e deixa sua intimidade sexual sob quatro paredes, muito bem reservada e se apresenta em paz como filho, cunhado, profissional na empresa que trabalha, marido ou namorado.

Arrisco dizer que o “gay que é homem” é um segundo estágio de vida do “homem que é gay” pois transita no particular e no geral sem confusões ou restrições.

Sobre a felicidade

Felicidade é um tema mais humano e menos sexual ou social. Felicidade é individual e bastante independente de sexo e gênero. Ou, talvez, se acreditarmos que tem a ver com sexo ou gênero sejamos um pouco menos felizes.

Felicidade tem primeiro a ver com gostar de si para depois gostar do mundo. Felicidade tem a ver com um esforço diário, de sentir o peso de uma necessidade para depois vibrar com o prazer da superação.

Felicidade tem mais a ver com interesses pessoais e realizações por si e menos a ver com percepções ou aceitação alheia.

Tem a ver com auto-confiança, auto-estima e de quanto nos aceitamos ou nos excluímos. De quanto nos achamos diferentes ou iguais, ou de quanto isso é realmente importante para sermos felizes.

Tem a ver com sonhos que, com a nossa capacidade humana de luta e coragem, somos hábeis para materializar.

Tem a ver com a importância que damos ao dinheiro porque uma coisa é gostar de dinheiro, outra coisa é saber gastar para tornar real, inclusive, os próprios sonhos.

Felicidade é ter consciência que a única coisa certa é que a vida tem prazo para a morte. Assim, para ser feliz, é importante viver problemas para serem superados e, quando superados, reconhecer intimamente os ganhos do que outrora parecia nos trazer tristeza. Isso é saber viver.

Por fim e se possível, deixar um rastro de valores e conduta dentro de outras pessoas, talvez filhos, namorados, amigos ou colegas de trabalho pois o sentido de imortalidade, quando representamos algo ou alguma referência a alguém, também é uma fonte de felicidade.

11 comentários Adicione o seu

  1. Jr disse:

    Cara essa frase diz tudo!
    “O gay quando é homem sente-se mais autêntico em qualquer lugar e deixa sua intimidade sexual sob quatro paredes, muito bem reservada e se apresenta em paz como filho, cunhado, profissional na empresa que trabalha, marido ou namorado.”
    Eu penso igual a vc. Seu blog é muito bom. parabéns!

    estou fazendo um blog se quiser acessar http://www.sougaysoumdetalhe.blogspot.com

    Abraço

    1. minhavidagay disse:

      Oi Jr!
      Que bacana que rolou uma identificação.
      Verei seu blog sim, certeza.

      Forte abraço!

      1. Jr disse:

        Visite sim MVG, leio seus posts ja há algum tempo, me identifico em alguns momentos com seus pensamentos e pontos de vista, gosto do modo que escreve, me parece ser bem resolvido sobre esse assunto.
        Espero um dia ser um blogueiro tão bom como vc, nas minhas noites de insonia, seu blog é parada obrigatória!

        Abraço.

      2. minhavidagay disse:

        Eheh valeu, meu querido! ;)

  2. Thiago disse:

    só queria ser mais feliz! Mto difícil conviver com um desejo, uma vontade ( de ficar com homem) e não poder falar p qse ngm ( eu falo isso pq não sou assumido) . O primeiro homem por qual me apaixonei era meu melhor amigo e me ofendeu qndo me declarei ( isso pq sou um cara de boa, nada afetado e muito menos que da “pinta” de ser gay) difícil mesmo de encontra alguém legal ( principalmente nesse mundo “sujo” da homossexualidade ou Bissexualidade, no qual todos querem saber semente de SEXO).. bom deixo aqui minha opinião! obrigado!

    1. tiago disse:

      Tiago S.
      Faz um tempo que estou triste com esse mundo,não a valores
      nem respeito.estou focado em meu trabalho neste momento.
      mas gostaria de ter uma pessoa do meu lado,sorrindo e sendo verdadeiro comigo.estou muito só literalmente todos os meus amigos estão casando ou namorando construindo uma família,eu nada,ser homossexual não e fácil mesmo.e acho que felicidade não faz parte da minha história,,,
      obrigado!

      1. minhavidagay disse:

        Hey Tiago!

        Não pense assim! Sem crise de tristeza! A vida não é fácil, mas também depende da maneira que a enxergamos.

        Abs,
        MVG

  3. bernardo disse:

    amigo! todos os dias pergunto o porque disso tenho 27 anos sou bonito, tenho lojas na minha cidade mas não sou feliz nunca encontrei alguem que eu pudesse dizer que amo, me foco no trabalho estou fazendo minha 2 faculdade, tudo isso pra não sentir a solidão de ser gay

  4. fabiano disse:

    Ser gay não é fácil por culpa da sociedade que discrimina quen foge do padrão. Eu acredito no amor gay. Acho incrível o amor entre pessoas do mesmo sexo. Fico feliz com cada conquista gay. Precisamos ser diferente sim, muita gente teve que sofrer para ter o mundo que temos..

  5. QUIQUE disse:

    BERNARDO!!!TEM 27 ANOS EU SEMPRE QUISEVIVIR UM AMOR NUNCA CONSEGUI PRONUNCIAR ESA FRACE (TE AMO) MUITO RICA EN SENTIMENTOS

  6. QUIQUE disse:

    Sempre desejo ter um homen maduro resolvido ,indeferente de cor e situaçaõ financiera humilde ,educado para vivir momentos agradables juntos vou deixar meu email (enrique.hector.roman@hotmail.com) vamos conversar , sem enrrolaçaõ

Deixe uma resposta