Sexo no Sofá, novo programa estreia no Futura e no Glitz

Nesse mês estreia um novo programa no Futura e no Glitz, o “Sexo no Sofá”.

O formato do programa parece ser bastante interessante. São três apresentadores: Juliana Araripe, uma heterossexual descolada, Rica Benozzati, um gay seguro de si e bem informado e Arthur Veríssimo, um heterossexual moderno e resolvido.

Juntos, os apresentadores levarão para as telas do Futura e do Glitz temas sobre sexo, tabus, questões de preconceito e assuntos sobre sexualidade com um tom irreverente, mas sem perder a seriedade.

Sexo no Sofá chega para mostrar que sexo não é um bicho de sete cabeças!

Para falar a verdade, e como reforço aqui no blog em alguns posts, a gente as vezes se confunde bastante com o nosso sexo e com a nossa sexualidade. E na grande maioria das vezes a coisa é mais simples do que parece. Só que a nossa cabeça, que as vezes são sete, é a cabeça do pai, da mãe, do irmão, do tio e do amigo, é que faz toda a confusão! (rs).

O “Minha Vida Gay” chegou aos monitores da produção do Sexo no Sofá, fui gentilmente convidado para ser entrevistado pelo Rica Benozatti e participarei da gravação amanhã. O tema que vamos conversar, num ambiente despojado, fica para vocês conferirem no Glitz ou no Futura!

Aviso vocês quando o programa começar.

Apesar do receio imediato da exposição, primeiro por falar de intimidades do sexo e depois por revelar minha “identidade gay” nas telinhas, colaborar com um programa do canal Futura será motivador. O Futura e o Glitz enfocam sua programação em arte, cultura, comportamento e visões sociais, e acredito que tenha um tom muito próximo com o do blog MVG que não é nem escrachado nem ativista demais, que fala de intimidades mas fala de visões gerais.

Mesmo sendo assumido há 12 anos, desde os 23, o primeiro contra que veio a minha mente foi o receio de chatear meu pai. Minha família sabe, meus amigos, meus sócios, mas meu pai ainda é reticente. Reticente porque não trata sobre o assunto abertamente comigo. Hoje mesmo estávamos almoçando eu, ele e minha mãe, numa visita semanal que faço a eles, e deu na tevê que o Elton John queria ter outro filho.

Como fã do EJ na hora exclamei “olha lá!”. Eu e minha mãe ficamos atentos a reportagem, mas meu pai rapidamente se virou e mudou de assunto. Sem caras, nem bocas nem constrangimentos excessivos. Apenas “bloqueou” algo próximo da minha realidade. Ele conhece as minhas verdades mas não desenvolve. Nos respeitamos, chegamos em um denominador comum e convivemos muito bem na relação de pai e filho.

Pensei bastante a respeito quando o e-mail da produção do programa chegou no queroumtoque@gmail.com. Refleti durante o dia todo entre uma reunião e outra em clientes. Pensei que há oito anos não moro mais com meus pais e tenho 35 anos, sou adulto e consciente das minhas responsabilidades.

Se a produção de um programa do Futura/Glitz chegou até a mim e pensando que esses canais tem cheiro de cultura, arte e coisa mais séria, por que recusar por uma insegurança tão específica? Respeito muito meu pai e já sabemos disso.

Uma entrevista no “Sexo no Sofá” pode ser algo simples para quem está acostumado com as câmeras. E para quem já fez propaganda para a tevê e para mídia impressa, que articula todos os dias com clientes e escreve periodicamente no MVG, porque recusaria afinal?

Busco mostrar uma resolução, maturidade e clareza por aqui, compondo posts como forma de expressão e contato com pessoas comuns a mim. Tento ser na maioria das vezes imparcial, com a minha visão de mundo relatando minhas próprias experiências e pensamentos sobre temas gays gerais, as vezes num tom mais moralista, as vezes polêmico e raras vezes escrachado.

Estar no “Sexo no Sofá” com o Rica Benozzati pode ser apenas uma extensão desse projeto do Blog Minha Vida Gay que começou mais despretensioso do que pretensioso e talvez por isso esteja dando certo. Ao contrário do meu trabalho, da minha empresa e de minha profissão, não tenho metas por aqui.

Bem, tudo isso para dizer que participar do programa não deixa de ser mais uma partezinha de mim que se assume a mim mesmo, uma partezinha que se resolve e que se aceita bem como tal. Assumir é processo e sim, estou me auto-afirmando um pouco por aqui (rs).

Não fiz alardes para amigos gays ou heterossexuais porque poderia parecer exibido. Mas dividir com vocês, leitores do MVG, faz todo o sentido.

=)

4 comentários Adicione o seu

  1. poste o vídeo depois aqui!

    1. minhavidagay disse:

      Beleza! Vou ver se a produção irá liberar o vídeo no Youtube! Abraço!

  2. Sammy disse:

    Parabéns pela iniciativa e coragem ;)

    1. minhavidagay disse:

      Valeu Sammy! A gravação já rolou e agora é esperar a repercussão! ;P

Deixe uma resposta