Gays do virtual ao real


Sexo virtual, voyerismo e exibicionismo pela webcam todo mundo sabe que virou moda desde que as cams tornaram-se populares e os notebooks abaixaram os preços e viraram mania entre os brasileiros. Moda para heterossexuais e gays que passaram a se despir diante das câmeras na prática do fetiche virtualizado.

Entre os gays, especificamente, a lente da webcam passou a dar veracidade para fotos e apelidos que antes poderiam ser fantasiosos. Os gays enrustidos, bissexuais e “héteros” curiosos podem hoje ter um contato mais próximo, embora virtual, com a sua realidade íntima. Poder ver um outro igual, ou muito semelhante do outro lado da câmera dá um sentido novo para aqueles que tem receio da exposição presencial nos guetos gays conhecidos.

“Punheta entre machos” deve ser ainda umas das salas mais lotadas pois mexe com o imaginário do pseudo homem hétero se exibindo para outros “héteros” (rs).

Claro que saciar a libido e o desejo sexual no sexo virtual são os principais propósitos para se utilizar uma webcam, principalmente para esse público gay que ainda não tem muita definição ou teme uma exposição maior e que está cheio de desejos para liberar. Nas madrugadas, salas de bate papo, sites de cam e MSN’s lotam numa vontade frenética dos ususários de conhecer alguém de interesse e extravasar as tensões.

Gays assumidos, frequentadores do meio e normalmente solteiros não descartam essa prática que acaba sendo um complemento em dias de chuva e frio como hoje! (rs) Dias como hoje enchem ambientes fechados como shoppings, restaurantes, salas de bate papo, sites pornôs e blogs como o MVG! =P

Fora a parte do sexo, que é óbvio mas temos uma certa timidez de comentar, esse contato virtual tem favorecido e muito as definições e esclarecimentos para gays enrustidos, indefinidos, duvidosos, relativos, bissexuais, curiosos, “heterossexuais” e todas as variações de nomes que a gente se refere a si mesmo como proteção enquanto não nos esclarecemos de nossa sexualidade.

Podemos procurar por muito sexo na net, afinal, a maioria de nós que tem inseguranças sobre a sexualidade, não tem acesso e carrega dúvidas precisa de uma válvula de escape que não a tão praticada “carreira solo”. A vontade está lá, latente. Mas a net tem trazido muita informação sobre sexualidade, sobre homossexualidade e um dos principais propósitos do Blog MVG é tornar esse acesso uma prioridade.

Quando “transamos” pela webcam, depois de liberar normalmente é “tchau, tchau, valeu e até a próxima”. Tira a tensão mas não ajuda a resolver nossas questões e, se bobear, até nos acomoda nesse modelo que pode virar um vício, como existe gente viciada em sauna gay, com a diferença de que não corremos o risco de pegar doença nenhuma. Sexo virtual é um sexo asséptico.

Existe um “mundo”, uma diversidade e uma variação muito grande de gostos, estilos, comportamento, hábitos e definições nesse universo LGBTXYZ. Onde será que cada gay se enquadra, se é que o gay pensa a respeito?

Muitos gays que vivem no “lado escuro da lua” não se identificam com os modelos que são divulgado por aí. A mídia massifica esteriótipos, vemos nas praças a noite as “bichinhas”, conhecemos os “mais gays”  só de olhar nas ruas e no salão de cabelereiro. Mas não nos sentimos desse jeito ou até mesmo temos medo de ficar assim.

Nem um, nem outro mas tudo disso um pouco.

Assim como na internet encontramos sites escrachados e bem humorados como da personagem Katylene que é válido e representa boa parte da comunidade e além, e temos sites de bandeiras ativistas, cheio de política e direito, ser gay é uma coisa de “A a Z” e pode ter certeza que a nossa identidade está no meio de tudo isso.

Já havia postado um texto sobre a abertura que a Internet deu as pessoas e principalmente aos gays. As portas estão muito mais abertas para todas as verdades, realidades que são os esteriótipos, as Katylenes da vida, as drag queens, as “bichinhas”, realidade que é o deputado Jean Wyllys, ex-BBB que aparentemente tem feito um trabalho sério para as causas dos homossexuais, e a sua realidade que pode estar ainda indeciso, ou que vive uma crise no relacionamento, ou que não consegue construir um relacionamento sério, ou que está querendo assumir para o mundo mas ainda tem muito medo de magoar ou de ser rejeitado.

No final com a net temos todo tipo de acesso a diversidade gay, daquilo que gostamos e nos identificamos e daquilo que até repudiamos.

Nessa rede gigante interconectada, entendo que o mais importante de tudo é superarmos nossos próprios preconceitos. Ser pessoas resolvidas também tem a ver com sermos mais abertos à própria diversidade. Ser resolvido é mais importante do que ser gay ou heterossexual, ser homem ou mulher, ou travesti ou transexual.

A tradução de uma pessoa bem resolvida, a minha maneira de interpretar, é aquela que aceita sua própria condição sobre a maioria dos aspectos, sejam os sexuais, as relações com família, amigos, a relação no trabalho, com estudos, com o namorado ou marido, a idade, a aparência, os gostos próprios, as qualidades e os defeitos e, assim, adquire uma tolerância de si, um auto-conhecimento que promove uma auto-suficiência de segurança, apto para evoluir por esforços próprios e muito mais tolerante aos ambientes e ao outro, diminuindo a necessidade de auto-afirmação e tendências de preconceito.

O post que começou no virtual, terminou muito próximo do que entendo como real. Vale a pena pensar que o grande lance para qualquer um é ser resolvido.

8 comentários Adicione o seu

  1. De vez em quando eu viro para o meu companheiro e digo: Mô, eu vou bater uma aqui no quarto, viu? Você quer bater lá na sala enquanto isso? rsrs.
    Obs.: é impossível dormir sem dar uma espiadinha nesse blog!
    Boa noite!

    1. minhavidagay disse:

      Rs rs rs… boa noite “Dois”! ;)

  2. Darkbringer disse:

    Boa noite, “dois”, gostei do seu blog! Me comoveu o segundo post (Por que sou gay?) contando um pouco sobre você e sua família. Continue atualizando-o! =)

    1. Boa noite, Darkbringer!
      Obrigado pelo retorno sobre o blog e fique sempre à vontade para interagir. Aos poucos a gente vai “descarregando” a memória e compartilhando as experiências! =)

  3. Sammy disse:

    Vi que estou muito longe de ser bem resolvido porque não envolve apenas um ou outro aspecto da sua vida. Realmente vale a pena pensar nisso ;)

    1. minhavidagay disse:

      Oi Sammy!
      Número 1 na Fanpage do MVG. Espero que a ideia funcione. Vamos ver. Sei que é uma exposição maior que um blog, como o MVG, mas pode gerar frutos.

      Quanto a estar resolvido, acho que importante menos o quão longe está, mas o quanto você tem consciência de chegar lá. Você deve ser novo ainda e tem um chão para caminhar. A dica é que faça valer a pena. Quando a gente passa dos 30 vê o quanto a vida é curta, e vai encurtando mais (rs). Por isso, tente se enxergar sob todos aspectos: como filho, como amigo, como aluno na escola, como indivíduo geral além do sexo. Esse exercício pode nos ajudar a crescer.

      Abraço! ;)

    2. minhavidagay disse:

      Oi Sammy! Apenas para avisar que vou criar um grupo do MVG. Vou desabilitar a Fanpage para que a exposição seja menor e as pessoas não possam ler os assuntos trocados. Te aviso assim que tiver criado para fazer funcionar melhor o projeto da “Comunidade do MVG”.

      Abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s