Um gay e o convívio com família

Naturalidades de um gay entre familiares num feriado na praia.

Dormir as 4h da manhã enquanto o marido da irmã do meu namorado compartilha a fase difícil do Angry Birds.

Acordar tarde e o namorado reclamar que teve piriri de madrugada porque comeu muita besteira na noite anterior.

Levanto, converso com a “sogra” e a prima do namorado, a filha e seus pais estão dando uma volta na praia.

Um abraço de bom dia na “sogra” e ela elogia meu perfume.

Uma das tias foi embora mais cedo porque deixou marido e um dos filhos em São Paulo. Quer aproveitar e ter o almoço de hoje com eles. Mas acabei de ouvir lá da sala que, na verdade, está por aqui ainda dando uma volta de bicicleta.

Meu “sogro” está cuidando de uma apendicite que deve operar em breve. Enquanto reclama do incômodo por não poder tomar uma cerveja, comento a ele do saruê que visitou o jardim da casa procurando por uma fruta ontem de madrugada.

Será almoço de feijoada! A panela deve atender 11 bocas! 12 na verdade porque a minha, certamente, vale por duas!

“Cunhada” e marido vão ao centrinho. Acabaram de trocar de carro e querem apresentar para a gente numa volta. Meu namorado quer dirigir e eu quero dar uma volta na rua depois de tanta chuva que veio desde o começo da semana!

Chinelo no pé, bermuda e certamente o frio do litoral norte de São Paulo está diferente do frio que abandonamos ontem da cidade.

Hora de ir para o centro! Deixo um breve registro para os leitores do MVG. =]

Deixe uma resposta