Relato Gay – As graças e as sensações das primeiras vezes


Depois que se vem assumindo há 12 anos a vida gay, algumas lembranças ficam guardadas e as vezes até esquecidas. Coisas que a gente não dá muita importância depois de um tempo, quando principalmente nos encontramos como gays já mais atuantes.

Lendo alguns relatos de leitores e associando com algumas de minhas memórias não tem como não citar o primeiro beijo, que para muitos gays é estranho de primeira, sentir aquela pegada mais forte, a sensação da aspereza da barba mal feita e, normalmente, aquela auto afirmação importante do tipo: “nossa, você beija bem!” – frase clichê que vem para a maioria.

Difícil a gente não ter uma tendência a não beijar bem de primeira! São tantas vontades potencializadas…

Na primeira pegada é inevitável os tais “movimentos eróticos”, mãos passando aqui e ali e descobrindo um terreno diferente, volumes e tudo mais que, numa primeira vez fica intensamente marcada em nossa memória. Alguns já investiram antes em terrenos femininos. Outros, desbravam pela primeira vez os próprios terrenos do mesmo sexo e tendem a ficar encantados com as formas! O por cima da roupa gera uma excitação absurda da vontade de se ter por baixo! rs

A primeira vez do sexo então, de dois corpos masculinos (ou mais, dependendo do nível de permissividade de cada um), nus frente a frente, entrelaçados, numa cama de motel, num sofá, dentro do carro ou sabe-se lá onde que a mente criativa permite-se chegar, é uma mistura de estranheza e desejo.

A penetração então é incrível! Ver o outro pedindo para ir mais devagar, ou mais rápido, é uma mescla de razão e emoção, tentativas, falta de jeito, na busca do movimento perfeito (rs). KY costuma virar a marca mais lembrada!

E quando nos permitimos ser penetrados então, numa mistura de dor e prazer? Ah, aí fica certo: “não tenho mais dúvida nenhuma que sou gay!”. Ui!

Claro que muitos ainda assumem a ideia do gay ativo, impávido e definitivo e, mesmo assumido e frequentador dos hábitos do meio, abrir a “frestinha” é do tipo negociação de longo prazo! A desculpa está normalmente no mesmo lugar: “Mas me dói muito!”.

Outros já dão com categoria, logo de primeira, e sentem-se plenos e gays por tamanha concessão a si e ao parceiro! Famosa “chuca” para alguns e não tão frequente assim para outros.

Tem a primeira vez depois do sexo que é bastante importante: entrelaçados, a gente vive a experiência de ter carinho por outro homem e permite-se viver o relaxamento e a possibilidade de olhar fundo dentro dos olhos. Isso, quando não sobe a “culpa heterossexual”, que nos vestimos rapidinho e pedimos pra sair!

Quando a primeira vez acontece entre duas pessoas que já estão disponíveis para ir além com a coisa da homossexualidade, há muitas chances do carinho sim, dos olhos nos olhos, das carícias e do “som do silêncio”. Dos sorrisos, da contemplação do pós-gozo e do dormir de conchinha. Isso é ir além com a própria sexualidade.

Tem gays que preferem ter longos papos depois do sexo, questionando, comentando, narrando a própria experiência e tudo mais, numa coisa de “dormir logo depois do sexo não pode!”. Normalmente é assim nas primeiras vezes. Outros, já preferem ficar em silêncio e acham muito chato ficar batendo papo (rs).

Todos esses detalhes passam a ser avaliados antes, durante e depois das primeiras vezes, primeiras – no plural – porque não dá para definir tudo numa única primeira vez. O reconhecimento de terreno próprio e do outro costuma ser processual, a aceitação costuma ser processual e sexo, em sua essência, é extremamente mutável durante toda a vida. Pelo menos essa é uma boa tendência.

A primeira transa entre gays pode ser excitante e/ou perturbante com 18 anos ou com 40, mas normalmente, depois da primeira a gente vai querer sempre mais, acredite.

Mesmo os gays hoje que se colocam sexualmente como assexuados. Deixa vir a primeira vez que vocês saberão o que é abrir as comportas! rs

No final, antes de um primeiro sexo gay com outro homem, a gente costuma criar fantasias, bloqueios e medos. Alguns buscam uma segurança absurda no outro para o primeiro sexo. Outros já saem cantando pneu e engatam a quinta marcha. Rola o medo de brochar, das doenças, de não saber se a preferência é “ativo” ou “passivo”, se o beijo vai fluir legal, se vai ter a tal da “química na cama” e se aquele detalhezinho no pinto – grande, pequeno, torto, grosso ou fino – não vai incomodar o outro. Rola tudo isso e mais um pouco.

Mas o que não representa tudo isso senão a natural necessidade de descobertas sexuais, tão comuns quando heterossexuais transam pela primeira vez? Não é nada diferente com dois homens se permitindo, exceto o preconceito e bloqueios na própria cabeça quanto a própria homossexulidade.

No meu primeiríssimo beijo e na minha primeiríssima pegada eu senti culpa e até um nojo. Mas na segundíssima, 15 minutos depois das minhas primeiríssimas, já foi tudo tão diferente! E, no meu caso, nunca vi ao vivo e a cores uma vagina.

Homens gays não tem hímen? Tem sim. Está aí o post de hoje para comprovar. Assumam seus hímens e sejam felizes!


coach-de-vida-gay

Sou Mentor e Coach para o público gay e relacionados: pais, irmãos, amigos, entre outros e desde 2011 matenho o Blog MVG como meio de referência, trocas e vivências. Gostaria de uma mentoria ou coaching? www.lifecoachmvg.com.br

28 comentários Adicione o seu

  1. Peter disse:

    E eu, por enquanto, só fico nos suspiros! Hahahahaha!

    1. minhavidagay disse:

      Ahahaha, Peter!
      Mas veja que “suspiro” já é um ótimo sinal! ;)

  2. Lucas disse:

    Não vejo a hora de ter minhas primeiras experiências, porém é um pouco frustrante pra mim que tenho 16 anos e nunca beijei nem sequer uma mulher e tenho um amigo bi que com 14 já fazia sexo com homens e mulheres e hoje com 15 tem um namorado.

    1. Fernando Sad disse:

      Oi Lucas,

      Não se fruste, independente de tudo, tem que ser especial! Ah!, principalmente com responsabilidade.

      Felicidades!!!

  3. Wicked disse:

    Tava comentando ontem no msn como esse texto é lindo. Me fez pensar em um monte de questões;

  4. Rodrigo disse:

    Teu blog é demais!

  5. Roberto disse:

    Muito bom seu post. Muito bom seu blog.Em sua opinião em qual época é mais difícil se assumir, mais cedo ou mais tarde?

    1. minhavidagay disse:

      Oi Roberto!
      Não há uma época certa para se assumir. Mas se você tratar do tempo, da cronologia, acho mais tarde pior porque os pais estarão mais velhos para receber uma notícia que nem sempre é rápido absorver. Mais velho você tbm já estará a acostumado em ser enrustido.

      Abs,
      MVG

  6. Roberto disse:

    Minha pergunta tem haver com minha propria historia. Fiquei muito sensibilizado com o relato do Fernando pois tenho uma experiência parecida. Também me casei, tive filhos. hoje tenho quase 50 anos e estou na batalha por eslarecimentos e uma melhor comprensão da minha homoafetividade. Não é fácil, mas encontramos formas de superar, vc não criou este blog? Digo ao Fernando para ter força pq ele ñ está sozinho.
    Foi bom encontrar seu blog. Abs

    1. Fernando Sad disse:

      Olá Roberto,

      É muito bom saber que existe alguém que possa me compreender. As vezes algumas pessoas acham, que por termos tomado a decisão do casamento e filhos, assumimos um ato covarde em nossas vidas. Já basta a frustração de não sermos nós mesmos. Sem dúvida é desnecessário julgamentos, nós mesmos já os fazemos, não é verdade?
      Gostaria muito de poder trocar ideias e experiências com você e também com outros homens que se encontram nesta mesma situação. Saber que não estamos sozinhos no mundo e podemos nos entender é muito gratificante. Tenho absoluta certeza que isso nos da força para prosseguir…

      Um grande abraço no seu coração!!!

    2. minhavidagay disse:

      Obrigado Roberto!
      Feliz pelas pessoas, gays, das mais diversas fases de aceitação ter como um dos pontos de referência o Blog MVG!

      Abs!

  7. Matheus disse:

    Bom, esse texto me fez chorar! Ao longo dos meus 15 anos perdi minha virgindade com um cara que conheci pela internet. A verdade é que aconteceu tudo isso, as sensações, as pegadas etc… Mas teria sido melhor se ele tivesse me ligado no dia seguinte, ou seja, ele me usou! Só isso, mas depois de muuuito tempo já superei, e acho que a raiva que fiquei dele foi tão grande que bloqueei a face dele na minha mente. Isso mesmo, não lembro mais do cara que transei pela primeira vez.

  8. Roberto disse:

    Fernando, Seria muito bom trocar idéias e experiências com vc. Infelizmente
    não tenho contatos com pessoas em situação semelhante à nossa. .É possível passar seu e-mail? Abraço forte. Roberto

    1. Fernando Sad disse:

      Seria muito bom poder manter contato, anota aí fernando-sad@hotmail.com

  9. Carlos Rodrigues disse:

    Pow MVG, faz isso com a gente não!

    Eu que ainda não beijei outro homem!
    Aí você vai e fala:”…que para muitos gays é estranho de primeira, sentir aquela pegada mais forte, a sensação da aspereza da barba mal feita …”

    Aí, me desperta o desejo: “Se é tão bom assim ,preciso… PRECISO!”
    Daí você fala da primeira transa….

    Basicamente, você expressou em palavras o que eu tentava entender…

    Não sei não… Mas entro na onda do Peter:

    – Só fico nos suspiros!

  10. Henrique Silva disse:

    SEM PALAVRAS…
    AMO SEU BLOG,
    Sempre que posso dou uma passadinha aqui…
    Me identifiquei 100% com sua postagem rs
    O primeiro flertar…
    tinha 18 anos e poucos dias quando fui em minha primeira balada GLS…
    Tudo tão novo para mim… eu estava a vontade naquele lugar, eu sabia que ninguém iria me julgar por dançar, por dar um abraço forte em meus amigos perante os demais, por olhar para as pessoas… Nossa eu estava livre!
    Lembro que tinha duas pistas, eu estava na segunda (piso inferior),
    nessa pista tocava músicas mais antigas,
    Estava tocando Los Hermanos – Anna Julia, eu estava dançando com meus amigos, quando percebi um carinha me olhando, (achei que ele estava me encarando por não gostar do meu jeito de dançar) eu olhei também (afinal, ele era lindo rsrs), ficou quando ele deu um sorriso pra mim… Nossa…sabe aquela história de borboletas no estomago? Então rs
    Ele veio, pegou na minha mão e disse se eu queria conversar… eu não falei nada… não conseguia falar rs… apenas fui…
    Meu primeiro beijo com um homem…
    Com um HOMEM… Nossa, o que minha mãe ia pensar de mim, minha família, e a igreja? fui criado dentro de uma…
    Na hora minha mente me culpava, era uma briga entre razão e emoção, sabe? …
    Fui embora da balada me sentindo feliz e culpado…
    depois desse dia fui varias vezes em outras baladas,
    mas não sei porque, apesar de me sentir livre nelas, não me sentia a vontade… O pessoal lá acabava de ficar com os outros e já iam para um motel…
    Não gostava disso… Foi onde parei de ir… fiquei um bom tempo sem ir…
    Foi onde um dia, eu fazendo trabalho para a faculdade, acabei entrando no site do Bate papo UOL, conversa vem, conversa vai, acabei conversando com um carinha um bom tempo, então resolvi adicioná-lo ao Facebook…
    dias e dias conversando por mensagens, Skype… Comecei a me apegar nele, então marcamos de sair, nos encontramos em um estacionamento de mercado (acredite se quiser rs), ficamos conversando a tarde toda, não rolou nem um beijo… afinal era um lugar com muitas pessoas… ele reservado, eu mais ainda rs… então depois disso marcamos de sair…
    ele disse pra mim escolher o lugar… eu escolhi: uma BALADA…
    Gente, me escutem por favor, se estão conhecendo alguém, nunca marquem os primeiros encontros em uma balada rs…
    eu sou ciumento sim, muito, preciso melhorar…
    Acabamos que discutimos (logo no 1o encontro rs)…
    No outro dia marcamos de nos encontrar novamente…
    Fomos para um Hotel…
    Conversamos muito… conversando ele começou a me acariciar…
    eu estava com medo, muito novo aquilo para mim…
    Ele me passou tanta confiança que rolou…
    Foi mágico para mim, beijos debaixo do chuveiro, caricias no corpo…
    Uma Mistura de receio e prazer…
    Como disse Você no post, eu pensei “Não tenho mais duvida nenhuma, sou gay rs”
    fiquei um tempo deitado em seu peito…conversando…
    Nossa, que vergonha… muito diferente…
    Mas tive certeza que era aquilo que eu queria!
    e assim foi…
    Estamos juntos até hoje!
    Eu o amo!

    Quero agradecer a vocês os conselhos, os puxões de orelha rs
    Seria tão bom se existisse mais blogs assim,
    Parabéns pelo excelente trabalho!
    Sou fã de vocês!
    Beijos,
    Henrique Silva.

    1. minhavidagay disse:

      Muito obrigado, Henrique Silva! ;)

    2. Pedro disse:

      Que inveja né, essa sua história é um sonho que eu tento viver, mas nem da certo, queria tentar minha primeira experiência assim pelo fato de eu ser discreto e não assumido, mas só tenho 18 anos e ainda tenho que dar muitas satisfações. Achou seu príncipe encantado nos contos de fadas da UOL rs.

  11. Phil disse:

    tenho 17 anos minha primeira experiencia sexual foi com um amigo ja sentia atração por meninos apesar de ter namorado garotas nunca me senti atraido,logo depois tive relação com uma garota e a certeza de que era gay,apesar de ter sido bom me pareceu meio ‘forçado’ não repetiria o ato hoje apenas me relaciono com outros meninos,não sou assumido isso ainda me assusta um pouco ja que não tenho apoio dos meus pais apenas meu irmão mais velho que sabe e me apoia mais pensar nisso ainda me pesa um pouco .tentei virar hetero mais isso não é uma coisa que se escolhe ou vira da noite pro dia ,depois que vi que não era aquilo que eu queria resolvi me aceitar como homossexual apesar da idade ja sei o que quero mais ainda me sinto muito desconfortável em debater isso com meus pais

  12. Nunca vou esquecer Minha primeira vez no sexo anal eu sendo penetrado. muito dolorida e em seguida um prazer enorme. O oral, foi estranho, tive um pouco de nojo, mas Fiquei viciado naquilo, e queria uma segunda vez. O primeiro beijo foi o mesmo que o oral. As vezes paro pra pensar nas Minhas experiencias gay, e muitos vezes vejo que esqueci coisas, mas as primeiras relacões com outro homem, nunca consegui esquecer. Ficou na Minha memoria até Hoje. Eu era um bobo inocente e apaixonado mesmo. Mas valeu!

  13. Tom disse:

    Minha primeira vez…
    Entrei no bate papo da uol, e conheci um carinha da mesma cidade que a minha. Ele logo me passou o face dele, no começo não achei ele bonito mas mesmo assim decidi que iria encontrá-lo. Ele me deu o numero dele o no dia seguinte eu liguei para ele. Ele veio até minha casa. Ele tinha 1.70 alt mais ou menos 75kg muito bem distribuídos. Ele tinha um corpo escultural, pele morena, usava aparelho. Labios carnudos, braços e pernas definidas e uma bunda linda … até hoje não esqueci daquela bunda. Ele estava ofegante e um pouco suado. Dei a ele água e fomos para o quarto. Eu estava em êxtase, não sabia bem o que estava fazendo e nem o que pensar. Conversamos um pouco e começamos a nos beijar. Como eu nunca tinha beijado um homem eu estava tremulo, nervoso, com medo, mil e uma sensações ao mesmo tempo. Fomos nos despindo… ele tinha uma “coisa” enorme. Eu não tinha vontade de ser penetrado e já havíamos conversado e ele prefere ser penetrado do que penetrar. Em meio a beijos e carícias, coloquei a camisinha e comecei a penetrá-lo. Eu não sabia que a camisinha tinha rasgado e ele também não tinha dito nada. Eu sentia um prazer muito grande e sentido o meu órgão dentro dele. Ele dizia doer muito e pediu para que eu parece. Quando tirei percebi que estava todo melado e fui lavar-me. Voltei e continuamos. Me apaixonei por ele, entretanto não aconteceu o mesmo da parte dele. Depois nos vimos 2 vezes e nunca mais nos vimos. Depois dele tive experiencias com mais dois homens mas não me chamaram atenção tanto quanto para com ele. Hoje não me relaciono mais com homens apesar que ainda sinto vontade. Na escola onde estou tem um carinha com as mesmas características dele que me chama muita atenção. Apesar de eu achar que ele seja gay, ele me afirmou que não. Vou esperar para ver o que acontece. Acabei de sair de um relacionamento com uma garota que gostava muito e que não queria que tivesse terminado. Me deparo muito com essa dúvida do que eu realmente gosto. Eu sinto atração tanto por homens quanto por mulheres, porém gostaria de poder me definir logo. Não sei se ainda irei me relacionar com homem, caso eu sinta vontade e apareça a oportunidade por que não? Gosto muito de ler depoimentos de pessoas e por isso resolvi compartilhar com vocês o meu. Obrigado

  14. jhonata disse:

    Bom , tenho 18 anos e ja fiquei com me inas , mas jamais com homens. Esse jamais foi interrompido ontem. Conheci uma cara de 26 anos no Uol , morava aqui perto e então rolou. Eu estava com medo e trêmulo, porém , ele era mt lindo , sarado… acabou rolando. Mas foi meio seco. Não teve beijo , nem carinho. Me senti ruim com isso. Ele me elogiou e disse que queria outro dia. O que acham? Devo falar com ele ?

  15. Lucas disse:

    Nossa Jhonata, algumas pessoas não se expressam afetivamente dizendo muito bem, mas nesse caso vá atrás de alguem que realmente te complete. Eu sou virgem e bv ainda, um cara LINDOOO de 43 anos tá na minha cola, mas eu estou vendo se ele ainda merece hahaha

  16. Arthur disse:

    oi! como explicar isso sou meio tímido
    bom
    eu sempre fiquei com garotas mas sempre achava tbm bonitos
    os meninos seus corpos atléticos.
    Tem um garoto do meu curso que é muito lindo
    e ele é algo que me destaca a atenção mas tbm gosto de mulheres.
    Quando penso em beijar um homem eu até sinto nervosismo por ser algo novo, inexplorado mas,
    eu realmente beijaria por que eu não sinto nojo de um corpo igual ao meu eu penso mais na parte da essência da pessoa…já pensei em ter um relacionamento com um que eu gostei mas minha família é muito arcaica eu já tentei abordar sobre e só de falar algo que minimamente chegasse perto da hipótese de não ser hétero tipo bissexual ameaçaram quebrar tudo que eu tinha (computador, jogos, etc) e fora as piadinhas uma pior que a outra se puder me contar como você fez eu realmente não quero ser infeliz mas também não quero me afastar da minha família .-.

  17. Arthur disse:

    ps : seu texto é lindo

  18. Anônimo disse:

    Mandei msg para um menino que gosto muito desde a 2° série…Ele e eu sempre nos falamos pouco tipo:
    -Oi,Tchau
    Mais entre nós sempre rolou aquela química amorosa…A gente se esbarrava muito e às vezes ele fica atrás de mim na fila da merenda da escola e noto que ele me olha e também se nossos olhos se encontram ele dá aquele sorriso de lado que me faz babar…Hj tenho 16 anos e ele também
    Mas a partir de ontem eu quis que tudo mudasse e consegui chamá-lo no Whats…Vamos ver no que isso se resulta…Ah Mds😱

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s