Os males de uma sociedade homofóbica – Por Enzo


Enzo, colaborador do Blog MVG, mandou mais um texto. O tema dessa vez é sobre a homofobia ainda bastante presente nas sociedades. Homenageio o colaborador: eis o post número 300 do Blog MVG.

Os males de uma sociedade homofóbica

Venho tratar hoje de um acontecimento recente que me deixou muito triste e decepcionado. Mesmo com os últimos acontecimentos na luta pelos direitos dos homossexuais (me refiro à promulgação da lei que aprova o casamento homoafetivo na França e também a regra que obriga cartórios brasileiros a realizarem casamentos gays) a nossa real situação social continua lastimável.

Semana passada eu e meu namorado (que não somos assumidos) fomos a um pub em uma cidade próxima a minha. É um lugar reservado, que poucas pessoas frequentam, onde ninguém nos conhece. Mesmo assim não ficamos nos agarrando nem nada do tipo, normalmente vamos mais para conversar mesmo. Claro que às vezes nos beijamos, mas nada que outro casal não faça. Então, quando estávamos saindo, três homens que estavam no pub passaram, cuspiram em nós e disseram: ‘’viadinhos nojentos’’. Ficamos sem reação, pois nunca tínhamos passado por isso. Claro que não reagimos, mas essa situação gerou um sentimento de impotência em mim e fez eu parar para pensar nisso.

Acho que esse sentimento de ódio, proveniente de uma longa cultura machista do nosso país, é muito fortalecido por certas religiões que não se preocupam com o bem estar da sociedade e pregam que ser gay não é natural, dizendo que o único modelo de família válido é aquele com um pai, uma mãe e seus filhos.

Na verdade, para mim essa é uma situação difícil de entender. Eu realmente não sei por que as pessoas se incomodam em ver um casal gay. Na verdade acredito que a maioria dos gays não entende essa raiva. Não estou dizendo que somos melhores ou superiores, mas talvez por enfrentarmos tanto preconceito, aprendemos que o amor não se defina por gênero, raça, classe social…

Para nós é muito natural, é a coisa mais natural que pode existir. Não escolhemos quem queremos amar, apenas sentimos. Tenho certeza que muitos gays, se pudessem escolher sua orientação sexual, escolheriam ser héteros e viver livre de preconceitos. Mas não podemos, nascemos assim, somos assim.

Essas pessoas que criticam a homossexualidade não enxergam que não estamos obrigando eles a se ‘’tornarem gays’’ ou a terem ‘’melhores amigos gays’’, pedimos apenas respeito e o fim das agressões e hostilidades que cada vez crescem mais.

E mesmo sabendo que a situação se agrava cada vez mais, o governo, repleto de pseudo-políticos, que em sua maioria finge uma preocupação com os direitos dos homossexuais, não faz nada além de sentar e aprovar leis. Obviamente a garantia dos nossos direitos é imprescindível, mas tão importante quanto isso é o desenvolvimento de projetos para a conscientização da população jovem, criando assim uma base para o futuro da sociedade, o que não vem sendo feito.

Desculpem pelo desabafo… Vocês já foram agredidos ou algo do tipo?

15 comentários Adicione o seu

  1. Nunca sofri algum desrespeito como esse.

    Mas quero abrir um parênteses (uma coisa bem básica a se dizer):
    Em um momento você disse que muitos gays escolheriam ser héteros. Não me incluo entre esses, afinal, estou muito feliz com esse meu gosto por homens, além do mesmo fato ter formado opiniões nas quais muitos héteros não teriam. O mesmo fato me tornou mais “livre”.
    Só quero deixar minha opinião aqui: Acredito que um gay desejar ser hétero (se ele tivesse essa escolha), seria um gay “mal resolvido”, ou uma pessoa que voltará para lutar em outro dia (já que tem medo do preconceito gerado socialmente).
    Não quero dizer que não tenho medo, todos nós temos! Mas a questão é que eu acho que todos nós, homossexuais, deveriamos pegar esse termo, que vai contra valores sociais, e usar dele como motivo para exercemos nossa cidadania, que é participar ativamente da sociedade.
    Não acho legal ver um gay desejar ser hétero, se tivesse essa escolha, pois ele estaria “fugindo” da situação. Acredito que simplesmente deveriamos aceitar essa verdade e aprender a conviver em harmonia com ela, e quando digo isso, quero dizer se sentir feliz indepedente, ou não, desse fato.

    Um gay desejar ser hétero é o tipo de atitude que temos quando ainda estamos nos aceitando, quando ser gay é uma coisa nova pra gente e mal resolvida.

    – Mas CR, você ainda desejaria ser gay com todo esse preconceito e homofobia mundo afora?
    Claro!! Como havia dito: Ser gay me fez criar opiniões que nem todos héteros teriam. Minha mente se tornou mais tolerante, mais aberta. E são essas opiniões que me fazem ir de contra algo que logicamente não é correto. São essas opiniões que acenderam a minha energia de minha jovialidade extremista que estava adormecida a um bom tempo.
    Se eu não fosse gay o que seria de mim? Seria apenas mais um hétero que provavelmente seria preconceituoso e , quem sabe, homofóbico…

    Oque eu quero dizer é: Vocês, homossexuais que desejariam ser héteros, aceitem-se e tentem fazer a diferença.
    Pra mim (pelo menos no meu atual estado), ser gay está longe de ser algo ruim.

    E voltando ao objetivo do post: Deixo uma mensagem que sempre digo a todas as pessos que me conhecem:

    – Respeito é a base para tudo!!

    1. Enzo disse:

      Oláa
      Adoro seus comentários, acho que esse espaço serve exatamente para vocês exporem suas opiniões, sejam elas de acordo com as minhas ou não :)
      No texto não quis dizer que ser gay é ruim, nem que eu pessoalmente escolheria ser hétero, na verdade eu só quis fazer uma referência de que ninguém escolhe sofrer preconceito.
      Valeu pelo comentário!!

  2. Eu estava bem consciente da sua opinião nesse fato. Eu deixei o recado para aqueles que realmente ainda não se aceitaram. Além de colocar algumas opiniões pessoais.

    Forças aew pelo acontecido.

    Abraços do CR!!

  3. Renato disse:

    Acredito que mesmo que um homossexual desejasse ser hétero, não podemos generalizar com afirmações do tipo “pessoa mal resolvida”. Não curto ser gay, mas não sou mal resolvido. Apenas tenho que aceitar que não tenho atração pelo sexo oposto, apenas isso.

    1. Por isso que utilizei o termo “mal resolvido”, pois você ainda vai aceitar que é gay e que não se atrai pelo sexo oposto.
      Quando a gente aceita, é porque a gente já está apto a conviver com isso, e convivendo com isso você nem gosta ou não gosta, simplesmente é algo indiferente.

      Mas se você se sentiu ofendido com isso, peço desculpas.

      Abraços do CR!!

  4. Vinicius disse:

    Olá, eu ainda estou em fase de aceitação, pois só tenho 15 anos e não sou assumido, concordo que se eu tivesse como escolher, escolheria ser hetero. Estou passando por uma fase muito complicada da minha vida, vejo meu irmão que é apenas 1 ano mais velho que eu falando com nossos pais das meninas que ele ja ficou e penso: “por que não nasci assim? Por que não sou igual a ele?” é muito triste viver assim, mas Deus sabe oque faz, eu acho que cada um de nós tem uma missão na Terra, e a minha missão é fazer meus familiares aceitarem, e respeitar a diversidade.

    1. A. disse:

      Pelo menos vc é mais novo… pior sou que tenho que conviver com meu mano de 13 já pegando menina enquanto eu já estou nos 20 inventando desculpas para os pais, como a de que não tenho tempo ou estou estudando e trabalhando…

      Sobre o post, não, nunca sofri. Sou do tipo machão e não tenho trejeitos ou amizades que me denunciem. Entretanto, já presenciei muito ataque covarde de bandos a uns gayzinhos ‘fofinhos’… vontade de sair quebrando a cara de geral para defendê-los, mas a verdade é que fingi que nem vi, Dá medo quando você sabe que não terá ninguém para te defender ou que os poucos que existem também tem medo.

      E para os que criticam os mal resolvidos… quero ver vocês levarem uma vida ‘normal’ quando NÃO têm família, amigos e trabalho que os aceitem. Ligar o foda-se pra todo mundo é fácil, mas antes é preciso ter casa, comida, dinheiro, nº pra ligar pra quando vc ficar doente… Se cada cristãos sabe o tamanho da cruz que pode carregar, os gay também sabem o tamanho da bandeira que podem levantar (ou esconder).

  5. A. disse:

    Talvez aqui não seja o local, mas só queria dar os parabéns ao criador do blog. Tá bem bacana.

    Já passei pelo que o carinha de 15 anos acima passou e é triste nesta idade você (seu verdadeiro você) estar sozinho e não ter com quem tirar dúvidas ou simplesmente desabafar. As vezes o único local em que nos sentimos seguros é no anonimato, em blogs como este, onde somos quem somos.

    Abraço,
    A.

    E Vinicius, pode parecer conselho de gente velha (ainda não cheguei nos 25) hehehe mas… estude cara. Comece por aprender inglês. Estude para ser alguém na vida. Por mais que saibamos que o dinheiro não é a solução para tudo, ele será o Plano C (de colo) de um cara gay.

    1. Gabriel disse:

      A.,

      Gostei da frase “os gay também sabem o tamanho da bandeira que podem levantar (ou esconder)”. Foi através desse blog que pude conhecer algumas histórias e verificar o quanto dezenas de pessoas passam por situações complicadíssimas em relação ao meio em que vivem e sua identidade homossexual. Realmente se sentem num “beco sem saída”, algo tão diferente da minha realidade, onde posso viver com liberdade e satisfação o que sou, respeitado no trabalho, querido pelos amigos, apoiado pela família. Apesar que todos meus amigos são héteros! Ainda não consegui uma amizade de alguém que seja gay, e tenho muito esse interesse: alguém que faça parte do hall de grandes amigos que trago em minha vida.
      Sendo assim, torna-se mais do que claro que cada um carrega a bandeira que pode levantar. Gostaria de deixar registrado aqui o meu interesse em desenvolver um bate-papo com quem tenha interesse.

      A gente nunca sabe quando será a próxima oportunidade de uma amizade e de uma possibilidade de crescimento pessoal…

      Abçs,
      Gabriel

      1. Daniel disse:

        Gabriel seria bom tem com quem conversar, sabe me sinto muito sozinho nesse mundo, apesar de eu ter uma família, pensei várias vezes no suicidio, eu nao sou assumido, eu finjo que sou hetero, e finjo muito bem, mas aqui em casa já estao desconfiados porque eu tenho 18 anos e nao tenho namorada, e tão sabendo que 2 meninas pediram pra ficar comigo e eu disse não. Sabe eu me sinto num beco sem saida.

  6. Vou repostar aqui, pois percebi que algumas pessoas se revoltaram com o que eu disse, e quero esclarecer o que eu queria dizer:

    Refocando o que eu disse: “Um gay desejar ser hétero é o tipo de atitude que temos quando ainda estamos nos aceitando, quando ser gay é uma coisa nova pra gente e mal resolvida.”

    Não há como discordar. Quando eu tinha meus 15 anos eu desejava ser hétero! Passava longe de minha cabeça querer ser gay. Ser gay nessa época era uma coisa mal resolvida, era uma “novidade” para mim e eu não estava preparado para aceitar isso.
    E uma forma de eu provar de que não há como discordar é com os própios comentários dos leitores:

    Vinicius:
    “Olá, eu ainda estou em fase de aceitação, pois só tenho 15 anos e não sou assumido, concordo que se eu tivesse como escolher, escolheria ser hetero. ”
    Renato:
    “Apenas tenho que aceitar que não tenho atração pelo sexo oposto, apenas isso.”
    A.:
    “pior sou que tenho que conviver com meu mano de 13 já pegando menina enquanto eu já estou nos 20 inventando desculpas para os pais, como a de que não tenho tempo ou estou estudando e trabalhando…”

    Vê?

    E “A.”, não estou criticando os maus resolvidos! Como assim cara? Não faz o menor sentido eu criticar os mal resolvidos! Eu que vivo falando aos sete mares: “Cada um tem seu tempo”.
    A única coisa que eu fiz foi afirmar a minha opinião sobre o fato de um gay desejar ser hétero.
    E ainda coloquei no final de meu comentário: “Vocês, homossexuais que desejariam ser héteros, aceitem-se e tentem fazer a diferença.”

    E quando eu falo “mal resolvido”, estou tratando da questão de VOCÊ, e apenas VOCÊ, aceitar-se como homossexual! ACEITAR!! Um gay que deseja ser hétero ainda não está resolvido quanto a sua sexualidade.
    E em um momento você diz sobre o fato de levar uma vida normal e talz: O primeiro passo para se ter uma vida assumida é aceitar-se a si mesmo como você realmente é. Aceitando-se assim, você viverá uma vida normal, acredite.

    Eu deixo aqui um post que eu fiz quanto a isso que estou discutindo aqui com vocês:
    http://devaneiosdeumjovemgay.blogspot.com.br/2013/06/por-que-e-tao-dificil-assumir-se.html

    E pessoal, repito novamente: “Cada um tem seu tempo”. Não estou desmerecendo o problema de ninguém, apenas fiz afirmar uma opinião minha.

    Peço minhas sinceras desculpas se machuquei alguém aqui.

    Abraços do CR!!

  7. minhavidagay disse:

    Fala TURMA!

    Primeiramente agradeço ao Enzo por trazer ao Blog um assunto que gerou tanta discussão. Como tenho 36 anos e a maioria aqui não passou dos 20, esse assunto de ser ou não resolvido bate menos na minha vida hoje em dia.

    É certo que resoluções na vida teremos sempre e, no meu ponto de vista, mais do que ser bem ou mal resolvido, acho importante a gente não estagnar ou não acomodar. É importante rever conceitos todos os dias!

    Deixo aqui um post escrito há um tempão atrás, aqui no MVG, que abrange bem essa questão de ser bem ou mal resolvido. É uma referência: https://minhavidagay.wordpress.com/2012/07/10/como-se-caracteriza-um-gay-bem-resolvido

    Divirtam-se!

    Abraços,
    MVG

  8. Daniel disse:

    Tenho 18 anos e não sou assumido, cada dia que passa me sinto mais reduzido e impotente. As pessoas comentam e estranham, ah ele tem 18 anos e não namora, por que? Pra piorar duas meninas já pediram pra ficar comigo e eu disse não e praticamente fugi delas. Eu não entendo porque eu nasci assim, eu fico pensando poxa deus me deu tanta coisa, sou educado, inteligente, sempre fui o primeiro lugar da turma, representante de sala, meus parentes me chamam de menino de ouro, tá , ok , ok , mas penso porque deus não me fez heterossexual? Eu me sinto sozinho nesse mundo, eu tenho medo de as pessoas descobrirem que ele é gay, e eu não sou afeminado, sou normal, um jovem comum de 18 anos, tanto que quando eu falo que nao namora as pessoas perguntam porque um menino de 18 anos bonito e certinho não tem namorada? Até já me perguntaram se vou da “igreja”, tipo se eu sou da igreja e por isso que não namoro.. Chega uma hora que não dá mais pra esconder, já pensei várias vezes no suicídio, eu tenho medo de me assumir, eu fico pensando como vou contar isso pra minha mãe, pra minha irmã e pro meu melhor amigo que é hetero, e pior, como vou contar isso pro meu irmãozinho mais novo, que se espelha em mim e que me admira. Tipo, como meu irmao mais novo vai dizer pro seus amigos ah meu irmão é gay, e como minha irmã vai dizer pro namorado dela ah meu irmão é gay, e minha mãe? e meu pai? Fico pensando, mesmo que eu me assuma, eu acho que nunca vou estar preparado pra morar, viver, ou namorar com outro homem, tipo assim, fazer isso em público sabe, como um casal faz. É claro que eu tenho desejo sexual, e é claro que se pudesse curtiria bastante minha solteirice até arranjar um namorado, mas o problema é que eu não me aceito como sou, não sei porque sou assim, tipo não sinto que faço parte desse mundo, parece que não era pra eu estar aqui, aí fico me perguntando se a vida vale a pena, porque ou eu fico a vida toda sozinho porque eu nao tenho coragem de me assumir e não quero viver com uma mulher, ou eu me assumo e sofro preconceito o resto da vida. Eu ainda sou
    bv aos 18 anos, nunca beijei, porque sei que gosto de homem e não de mulher. Eu penso que fui condenado, não posso sair nas ruas como um casal normal pra namorar, e não posso ter filhos, minha vida não faz sentido, tenho tudo o que alguém pode querer, uma familia, trabalho, faculdade, amigos, mas porque deus me negou algo tão basico como a heterossexualidade, porque? Eu só queria olhar pra uma mulher na rua e sentir desejo por ela, eu só queria ter beijado as meninas que pediram pra ficar comigo e depois ter perdido a virgindade com elas e gostado disso, só queria viver uma vida sem que eu pensasse na homossexualidade a cada 10 segundos, eu só queria isso, ser hetero, mais nada, parece que sem isso nada mais faz sentido, to cansado da vida , to sem rumo, nao quero mais esconder que sou homossexual, mas ao mesmo tempo eu nao quero ser homossexual, o que eu faço? Eu penso será que vou morrer com 80 anos e virgem? Vale a pena eu morrer virgem e viver pra minha mãe e meus irmaos? Eu sei do que eu gosto, eu goste de homem, eu sou bonito , jovem, já pensei várias vezes em ir numa balada gls e fazer o que eu mais tenho vontade, beijar um homem e fazer sexo com o primeiro que quiser, mas depois penso que se alguem descobrir ai nao tem mais volta, todo mundo vai saber que sou gay, e o desgosto nao sei se vou suportar. Eu não tenho com quem desabafar, porque eu tenho que ser assim, quero morrer, mas sou covarde pra me matar, se eu morresse sei lá, de repente , num assalto, minha familia ia sifrer, mas eles nunca saberiam que eu sou gay, e eu morreria com a imagem do menino bonito, jovem , trabalhador, estudante , responsável, menino de ouro, e eu não ia morrer com a imagem do gay.

    1. Enzo disse:

      Daniel, acho que o teu problema começa com a imagem que tu tem dos homossexuais, portanto a imagem que tu tem de si mesmo. Porque tu não pode ter um namorado, e um dia uma marido e formar uma família?
      Claro que tu vai enfrentar preconceitos, mas tu vai deixar isso te impedir de ser feliz? Não fique pensando no que as pessoas vão achar, é a tua vida! Teus pais e tua irmão te amam, se eles não te aceitarem na inicialmente com o tempo vão entender. Aliás, acredito que ter um irmão gay com coragem pra enfrentar seus medos é o melhor exemplo que seu irmãozinho pode ter! Ele vai aprender o que tu não ta conseguindo aceitar, que ser gay é normal. Gays podem ser bons ou mal alunos, chatos ou legais, bonitos ou feios. Homossexualidade não define caráter.Se você está dizendo que é um menino de ouro é isso que importa. Independente se você for se assumir ou não, o importante é ser e agir da maneira que te deixa feliz. Não deixa que o meu relato de homofobia te afete. ESQUECE ESSA IDEIA DE SUICÍDIO! Tem certeza absoluta que tua família prefere um filho gay vivo do que um hétero morto!
      Procure ajuda de um psicologo, ele vai poder te auxiliar nesse processo!
      Força aí cara!

      1. Daniel disse:

        Sabe Enzo, me sento sozinho, tipo, digamos que não minha família inteira não há um homossexual assumido, ou pelo menos alguém em que eu possa me espelhar, tipo, eu não conhece um homossexual adulto, tipo como ele vive , etc. Eu não sei porque, mas na minha cabeça eu meio que trato o homossexual a parte da sociedade, tipo, eu penso como ele vive, onde trabalha, quais suas amizades, eu meio que carrego comigo um preconceito interno , e eu me sinto muito mal, porque se eu que sou homossexual penso assim imagina o que esperar dos heteros. Eu não sei quando essa fase da minha vida vai acabar, quando eu vou aceitar quem eu sou, a pior sensação do mundo é andar por todos os lugares mas com uma prisão na sua cabeça. Eu me sinto mal porque eu sei que se eu me asumisse eu mudaria o conceito de muita gente ao meu redor, que veriam que apesar de homossexual eu sou uma boa pessoa. Tá vendo, acabei de perceber que eu mesmo escrevi “apesar de ser homossexual”, eu mesmo estou me reduzindo, não sei o que fazer. Eu fico me perguntando se todos os gays já pensaram o mesmo que eu to pensando, se todos os gays já se reduziram a tanto quanto eu to me reduzindo. Enzo eu não queria parecer tão preconceituoso no meu comentário, mas agora que eu reli meu desabafo eu percebi que o preconceito está enraizado em mim, eu venho faltando nas aulas da faculdade, eu me sinto perseguido , e olha que nunca ninguém tipo me chamou de gay, etc, cada segundo que eu saio na rua eu fico pensando se as pessoas estão pensando que eu sou gay. Sabe eu queria saber como vc tipo passou por essa fase, como vc aceitou a si mesmo, porque eu não to conseguindo fazer isso.
        Eu já pensei em ir no psicologo pedir ajuda, mas também tenho medo de ser julgado ou sofrer preconceito por parte dele. A cada dia eu venho me afastando mais das pessoas, eu to ficando mais sério, mais calado , na minha, vc já passou por isso algum dia na sua vida? Eu fico pensando se algum gay já passou por isso que eu to passando, se já ficaram cada segundo da sua vida tentando parecer o mais hetero possivel, controlando a voz, o jeito de andar, de falar, tudo pra parecer hetero, e até mesmo olhar pra bunda das mulheres quando elas passarem só pra ninguem desconfiar. Tudo o que eu to falando é um desabafo, eu não me sinto preparado pra me assumir, mas essa hora um dia tem que chegar, eu não me sinto acolhido no grupo hetero e nem no grupo homossexual, por isso me sinto sozinho, é algo muito estranho, eu tremo quando alguem me pergunta se tenho namorada, porque vou dizer que nao e ai vao perguntar porque, e uma coisa leva a outra, e o que eu mais temo é se perguntarem se sou homossexual. Eu to com vergonha de mim mesmo, com vergonha de não conseguir aceitar quem eu sou, e de nem mesmo desabafar com algum amigo meu, e só aqui no anonimato que consigo falar quem eu realmente sou, no anonimato. Eu já desabafei aqui mais coisas do que eu já desabafei pra alguem na minha vida, e desde que eu descobri esse blog ele vai ser meu refúgio, o unico lugar nesse mundo em que eu vou dizer abertamente que sou homossexual

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s