Relato Gay – Eu estou curado

Relato de MVG

“Tenho percebido nos últimos meses, desde que comecei a escrever menos aqui no Blog e depois que aquela onda pró-gay eclodiu em território paulista, grandes diferenças na minha homossexualidade. Tenho notado mulheres.

Já me peguei em sonhos pornográficos, sedento, numa busca constante por (porque não) bucetas (palavra que antigamente abominava pronunciar). Acordei excitado todas as vezes e tenho notado que, ultimamente, são os seios e as bundas das mulheres que têm me chamado mais atenção. Curioso que faz mais de 13 anos que me entendo como gay, mas nunca senti o sabor da cútis feminina.

Tenho lembrado do que mamãe sempre falava na minha infância quando não queria comer: “experimenta essa fruta. Como você diz que não gosta se nunca experimentou?”.

E foi aí que resolvi saborear. Mas antes disso, larguei minha terapeuta que conheço há anos e fui atrás da indicação de um amigo que disse ser “terapeuta exemplar”. Converso muito sobre essas questões, da minha confusão, do fato de nunca ter experimentado da fruta e que, possivelmente, meu tempo como gay havia acabado.

Será que sou bi? Creio que não pois, no momento, nenhum corpo masculino tem me chamado a atenção e confesso que, as vezes, a imagem de dois homens se acariciando me enoja. Acho que meu tempo como homossexual acabou, se exauriu, foi uma ilusão por inúmeras questões psicológicas que naturalmente se resolveram com o tempo e, assim, cheguei aqui: novo e heterossexual. A minha evolução pessoal.

Fico até me questionando como será essa vida. Terei que terminar com meu namorado, de uma relação que chegaria em breve aos 3 anos e meio (já não estava obviamente essas grandes coisas) e assumir uma identidade de heterossexual enrustido a princípio porque muita gente irá se decepcionar. Como falar para todos meus amigos gays, de amizades que tenho há mais de 6 anos?! Não sei por onde começar. Me sinto mal e perdido, como se estivesse no armário de novo.

E o pior de tudo é que, agora que eu acordei, me descobri com tesão da esposa de um quase irmão.

E o meu amigo Beto que reapareceu e parece garantir um jantar especial pra gente amanhã, quarta-feira? (Acho que assumirei para ele diretamente, sem delongas, antes que comece a narrar suas histórias que – agora – me soarão indigestas).

Meus pai, então, que praticamente levou uma década para corresponder com tolerância não vai entender mais nada. Como comunicar para alguém com 71 anos que, na realidade, foi apenas uma fase e que hoje me sinto plenamente hétero? Sou uma pessoa de convicções e tenho clareza das minhas certezas. Mas nem sempre as certezas são boas para as pessoas. Puxa vida, voltei para o armário!

As pessoas do meu trabalho, como sou chefe, na realidade não precisam saber desses detalhes íntimos. Posso me preservar por alguns longos meses, não é verdade?

E os “Bloggers” que são três: Fernando Lima, Sammy e P? Foram as três pessoas que me aproximei presencialmente pelo intermédio do MVG e que do nosso encontro até hoje evoluíram em alguns aspectos, uns mais, outros menos, mas todos passos dados foram em relação a suas condições gays? Como anunciar que o “mentor dos primeiros passos” é, na realidade, um hétero?

Essas são as grandes questões da minha vida ex-gay. Será que o Blog poderia se chamar “Minha Vida Ex-Gay” ou “Minha Ex-Vida Gay”? Será que os leitores permitiriam?

Bem, o meu amigo, Marco Feliciano, que indicou o terapeuta e que tem me incentivado bastante, garante que o tal psicólogo me ajudará a chegar a todas as respostas para essas dúvidas. Porque de fato não tenho questionamentos quanto a minha sexualidade. Minha preocupação é como fazer meus amigos e meus pais me aceitarem (de novo)”.

Tenho medo. Medo da rejeição.

Assim, me despeço objetivamente como heterossexual para uma nova jornada.

Partiu para a buceta,

MVG

15 comentários Adicione o seu

  1. . disse:

    Poxa cara, até entendo a sua indignação contra o lance da “cura gay” aprovada lá naquele antro comandado pelo Feliciano, mas recorrer a este velho embuste de fazer a inversão de homossexualidade (normal) e heterossexualidade (desvio) já está meio datado…De verdade, você tem tanta criatividade para escrever coisas legais, mas neste post você deu uma bola fora! Sorry, nem sempre se acerta! Kisses.

    1. minhavidagay disse:

      Oi “X”, tudo bem?

      Entendo sua insatisfação e não tenho a pretensão de agradar todos. Mesmo o último post contraria a maioria das pessoas que estão na rua. O MVG não está para dizer coisas legais, muito menos ser criativo. Eu apenas escrevo pontos de vista sem pensar muito na forma, se é embuste ou formato datado.

      Bem, para contrariar sua crítica, pois esse país é cheio de pontos de vistas diferentes, vai um simples comentário sobre esse mesmo post que recebi hoje por e-mail:

      “Cara,

      Adoro seus comentários. Sua ironia é ótima!

      Abraços.

      Acompanho seu blog há um tempão, mas nunca tinha comentado”.

      1. Sammy disse:

        Gostei muito do post também e acho super factível que um ex-gay sofra preconceito e acabe tendo que viver num tipo de armário.

  2. Caio disse:

    Pois é. Se alguém estiver já com um pouco de sono ou entrar no blog pela primeira vez a sensação que dá é que você transcreve sua realidade de maneira verdadeira e faz acreditar que realmente mudou sua orientação sexual rsrsrs. Bem como você mesmo relatou, pela dificuldade que é ter a aceitação dos familiares e amigos, reverter o processo depois que eles conseguem se acostumar pode ser frustrante. Mas para alguns os resquícios de esperança para que você fosse diferente voltam a reacender e geram um contentamento que já estava praticamente esquecido.

    E esse contentamento é apenas o resultado de uma vitória de um preceito infundado e que vive apenas dentro de cabeças desconhecedoras da vida real ou de gente ignorante por opção. E infelizmente destes últimos nosso país esta cheio.

    Não aceitam que é a realização de uma vontade que não tem como ser real, pelo menos não na prática. Mas os impulsionadores dessa besteira estão anos luz de compreender isso. Até lá muita água suja vai passar por debaixo da ponte.

  3. Sammy disse:

    Ai, amigo! Choquei! Mas acho que eu posso me aposentar por invalidez porque minha doença é crônica. Soube de um amigo que vai ser internado por estado gravíssimo de homossexualidade.

    1. minhavidagay disse:

      Rs rs rs… Em meio a tanta violência em nossa cidade hoje, saber que um amigo está em estado gravíssimo de homossexualidade é incrível! Me avisa em qual clínica que vou junto rs rs rs

  4. Que crítica ácida foi essa hein?

    Qué isso Mvg! Só tenho a dar meus parabéns!

    Abraços do CR!!

  5. Fernando disse:

    Querido Guru,

    Que decepção!!
    Sua traição foi o prego que faltava no meu caixão.
    Como sou o mais velho da turma, fui muito afetado pela sua revelação…
    Logo agora, que estou em estado terminal de homossexualite aguda!
    Desenganado pelos médicos, que me garantiram ser moléstia incurável, apesar da certeza do Feliciano de que a cura existe!
    Pelo menos, o enfermeiro que me atende é uma gracinha…rsrs
    Abs,
    Fernando Lima

    1. minhavidagay disse:

      Ahahahaha, Fernando Lima! Tem um supositório óootimo para resolver seu problema. Me passa o contato do seu enfermeiro para eu ensinar como faz em vc. Ahahahahahaha :P

  6. Gabriel disse:

    Cara você é demais!
    Acompanho o Blog a pouquíssimo tempo, mas a cada novo post gosto mais. Ler sobre as opiniões alheias de uma maneira criativa e engraçada é sempre muito bom. Parabéns!

    1. minhavidagay disse:

      Obrigado, Gabriel!
      E seja benvindo ao MVG.
      Só para reforçar, já que você começou a leitura por aqui recentemente, esse último post é uma piada apenas, tchá? Nem Feliciano, nem Tristonho, nem Hilário encontraram a tal cura.

      Abs,
      MVG

  7. Luis Augusto disse:

    Adorei a sua crítica MVG. Ela consegue demonstrar o sentimento de indignação, que a aprovação de um projeto como esse provoca. Desculpa por não comentar mais, com tanta frequência como antes. Entretanto, quero que saiba que mesmo não comentando, estou lendo todos os posts publicados no blog. Abraço e bom dia!

  8. Fernando disse:

    É minha primeira vez no blog e fiquei de cara com o relato. Só percebi a ironia ao ler sobre o Infeliciano e depois de ler os comentários. Tive que ler de novo para tirar as bucetas que ficaram engasgadas. kkkk

    Sabe, vou iniciar o processo para me aposentar por invalidez, uma vez que minha condição não tem cura, não posso arcar com o tratamento de um profissional particular e o SUS não conta com médicos capacitados para tratar do meu problema. Eu não posso ir trabalhar doente assim, vai que eu contamino as outras pessoas! Acho que todos nós deveríamos ficar em quarentena permanente em alguma ilha (Havaí ou Polinésia Francesa).

  9. Vladimir Pacheco disse:

    MVG,
    vc é homonormativo. Cheguei a essa conclusão.

    Não tem o conceito de Foucault de heteronormatividade que excluiriam quem saisse dessa regra? Então, quando vc levanta um discurso de ridicularização dos evangélicos (por promoverem a reversão), dos políticos (por quererem a discussão) e dos gays da vida real que mudarem por livre e espontânea vontade (até em psicólogos como o que tu consulta), tu tá sendo homonormativo. Logo, quando alguém sai dessa regra … vem toda a carga de ridicularização, condenção, isolamento.

    Deixe as sexualidades irem e virem como o direito constitucional de ir e vir.

    Fica devendo um texto sobre: o humor e a manutenção do preconceito.
    Se a ridicularização dos gays promove o preconceito, a dos ex-gays tb.

    Todos podem ser uma letrinha da sigla LGBTT.
    E todos podem tascar um ex nisso.

    Todos pode ser hetero.
    E todos podem tascar um ex nisso tb.

    Aceite isso.
    Melhor que “partiu buceta” ou “partiu pinto” é o partiu liberdade.

    No mais, o seu texto foi bem feito como crítica, ácida e humor. Achei tudo legal também, mas acho que vc é muito maior do que isso. Quanto aos outros, não perco meu tempo com eles. O especial aqui é tu.

  10. Pedro disse:

    Acho normal gay sentir vontade de transar com mulher. Afinal ele tem seu pênis, seus instintos masculinos ainda estão ali e pode sim ocasionalmente sentir certa vontade de fuder uma xoxota!!! O problema é que nós gays ficamos estabelecendo regras, prisões normatismos igual os heteros fazem. E da mesma forma que existe a heteronormativiade, existe a homonormatividade hoje em dia!!! Eu sempre fui gay passivo e de repente também começei a sentir vontade e fuder raxa!!! Vou sufocar isso? Pra que? Virei bi? Se lá? Só sei que deu vontade e por que não? Chega de regrinhas tolas de sexualidade!!!

Deixe uma resposta