Gay, mania de querer ser incrível

Retomei o contato com o meio LGBT levemente e – sem grandes esforços – alguns gays me fizeram lembrar que temos uma certa tendência a achar que somos pessoas “incríveis e superiores”. Obviamente não são todos assim, mas existem muitos – principalmente aqueles que frequentam o meio – que precisam exalar um certo ar de superioridade por ser gay, belo ou inteligente.

Mania de Super-Gay
Mania de Super-Gay

Confesso que tive minha fase de me achar uber por ser homossexual, descolado, in, na moda e reconhecido no gueto. A euforia de egos é bastante comum e as causas disso tudo podem ser afirmadas em diversos discursos:

– “Fomos sempre reprimidos. Gay tem é mais que se valorizar mesmo”;

– “Lindo como sou, não dá para ter falsa modéstia”;

– “Tenho grana, status social e eu posso”;

– “Meu talento é para poucos, meu bem”.

Gente, é uma chuva de auto-afirmação que infantiliza qualquer belo shape, mesmo daqueles que não são nada belos.

Mas até quando tudo isso? E sabe que não tem idade: começa com os 18, vira a curva dos 24 e perdura até os 40! É tão uber que acaba cafona.

Confesso também que é bem legal essa ideia de retomar alguns contatos, rever alguns lugares e respirar alguns ares que ficaram novos de novo. Mas algumas dessas pessoas, os tais “Super Gays” eu passo, por favor! Manolo, a bicharada não quer crescer! Reclama que é solteira, mal amada e sozinha mas só fica paquerando o umbigo.

Essa coisa de gay ser super, a mim, está fora de moda. Não cabe mais. A coisa evoluiu.

“Hello?! Is anybody home?”

Pode ser bonito, pode treinar um charme, pode ser bem vestido e perfumado. Mas se for só isso é boneco. (Lembrem-se: cagamos e peidamos também).

4 comentários Adicione o seu

  1. Colaboração disse:

    Vale 1 mês discutindo homo e hetero-normalidade para sexualidade e para gênero. Muito louco tudo isso.
    Não é pra publicar este post.
    Só contribuindo em agradecimento aos seus posts.

    http://www.hypeness.com.br/2013/07/ele-nasceu-menina-ela-menino-hoje-formam-um-casal-que-luta-contra-o-preconceito/

    1. minhavidagay disse:

      Porra, adorei esse link! Não tem como não postar… só entra na questão de conceitos: os dois meninos são TRANSEXUAIS pois fizeram todos os procedimentos para mudar de sexo e a psique está bem definida. Transgêneros transitam entre os gêneros masculino e feminino e não alteram as genitálias por causa desse trânsito.

  2. ‘Manolo, a bicharada não quer crescer!”

    Hehe, rachei com essa!

    Autoafirmação é uma coisa que já me tirou do sério e que já não admiro muito e nem ponho fé em pessoas assim.
    Tudo bem que se achar lindo, se amar um pouco é bom, mas ser esnobe já é demais não? Sou narcisista? Aahh, demais! Me amo muito e me acho muito lindo! Mas sempre coloco limites, pois não me permito de chegar ao ponto de não conhecer alguém só porque ela não é atraente e não me permito a se achar superior aos próximos.
    Mesmo que tentasse ser assim, sempre tenho pessoas (amigos, como exemplo e para ser mais específico) que vão estar lá para da rum puxão na orelha e falar: “Acorda cara!”.

    Além disso, parece que ser esnobe é modinha no meio LGBT, e como já disse, modinha não é uma coisa que me atrai. Hehe…

    Em fim, sem discutir muito: Autoafirmação é uma coisa passageira e necessária, o problema é quando se torna um hábito…

    MVG tá muito comunicativo ultimamente… Uma dosagem do meio LGBT causa isso em você MVG? Hehe!

    Abraços do CR!!

    1. minhavidagay disse:

      Foi uma dosagem homeopática e já viu a empolgação? Imagine se fosse em minhas épocas solteiras? rs

      Abs,
      MVG

Deixe uma resposta