Japoneses gays


Imagino que o Blog Minha Vida Gay tem ajudado a muitos homossexuais, gays enrustidos, indefinidos e confundidos a encontrarem referências para suas questão quanto a própria sexualidade, que não fotos e vídeos de sexo, contos eróticos, fetiches e etc. Alguns, aos poucos, vão se manifestando por aqui. Outros preferem ficar calados, lendo e relendo posts e comentários deixados por usuários.

O MVG acaba lidando com temas tabus, que já é bastante intrincado entre os heterossexuais. Daí a coisa fica mais confusa para quem é gay, naturalmente, pois como bem sabemos, a sociedade atual – ainda – não entende a homossexualidade como algo normativo. Aos poucos, as grandes capitais mundiais abrem suas portas para essa realidade e permite que a diversidade se estabeleça. Pelo menos já existem “refúgios” para quem vive numa cidade interiorana e busca pela emancipação quando o assunto é a sexualidade.

Nesse ritmo do Blog, o leitor André se manifestou pela primeira vez no post “Gays orientais”. Resolvi dar destaque para seu relato para ficar mais visível aos demais leitores orientais ou não. Quem está passando por aqui pela primeira vez, vai notar que tenho dado certo destaque ao tema “japonês gay” pois sou um e muito recentemente venho me libertando de um autopreconceito por me achar menos por ser oriental.

Relato de André:

Ótimo post MVG! Tudo a ver comigo! Rsrsrs. Podemos dizer que eu sou um dos seus leitores assíduos que nunca se manifestaram via comentário, mas que sempre achou extremamente interessante cada post publicado por aqui.

Bem, assim como você sou um japa-gay que ainda, aos poucos, está adentrando nessa vida gay. Identifico-me MUITO com o que você escreve e às vezes parece que consigo me ver na sua posição. Minha vida gay se iniciou aos 22 anos quando resolvi me assumir para minha melhor amiga numa viagem a Nova York, o que representou de certa maneira a vitória em uma batalha épica que eu travava entre mim e eu mesmo. Mas só que essa batalha também foi intensificada pelo fato de ser descendente de japonês e ter os olhinhos puxados estampados na cara. Desde a minha infância sempre sofri bullying pelo fato de ser o único ou um dos únicos japinhas da turma, que consequentemente era o CDF tímido, que depois mais tarde virou aquele do pau pequeno. Foi somente na época do cursinho que comecei a conviver com outras pessoas orientais, já que era praticamente inevitável. Mas com a mentalidade que tinha, mesmo que eu tivesse a chance de andar com orientais naquela época, acho que optaria por andar com ocidentais para justamente tentar me “encaixar” no grupo que era maioria. Assim, negava muito ser oriental.

Ao mesmo tempo, a cultura japonesa sempre esteve presente em casa, mas, digamos assim, de forma harmônica com a brasileira. Por exemplo, nos jantares sempre havia o gohan (arroz branco japonês grudado) em determinados dias e em outros, o “arroz branco brasileiro soltinho”. Acho que outro fator que contribuiu para isso foi o fato de ser sansei (terceira geração de japoneses no Brasil) por parte paterna e yonsei (quarta geração) por parte materna. Assim, os únicos avós que eram extremamente ligados com a cultura japonesa eram os paternos, já que vieram para SP quando crianças, sendo que minha batchan ainda fala com sotaque. Por parte materna, tinha um avô mineiro e tenho uma avó do interior de SP. Como os meus pais trabalhavam muito, fui criado pelos meus avós maternos e assim, cresci num ambiente mais ocidentalizado. No entanto, eles sempre faziam questão de me apresentar certos aspectos da cultura japonesa. Meu avô me ensinou a fazer origami através do tradicional tsuru. Minha avó ia também aos “Tanomoshi” e cozinhava muitos “manjus” para levar para lá. Ambos também sempre demonstravam aquele preconceito japonês, falando que tinha que arranjar uma namorada também japonesa (coitados deles de pensar que teria uma “namorada” rsrsrs).

Assim, não gostava de ser japa fora de casa, mas dentro, adorava. Daí veio a questão de ser gay. Acho que desde que eu tinha uns 13, 14 anos, lembro que ficava pensando comigo mesmo: “já não bastava ser japonês, e agora sou gay?”. Com tudo isso, veio mais negação atrás de negação. Batia aquele medo (besta) de ser não ser aceito pela sociedade, pelos amigos e pela família. Foi aí que começava a cada vez mais a cavar meu próprio buraco. Mas foi com a internet que consegui voltar à superfície terrestre e principalmente as suas palavras tiveram grande influência nisso.

Hoje em dia, aceitei o ser japonês, já que hoje mais da metade das minhas amizades na faculdade são de orientais. Comecei a me sentir mais normalizado no meio deles! Rsrsrs. O aceitar ser gay ainda se encontra em fase de construção. Estou me assumindo aos poucos e devagar, inclusive também para essa turma de orientais. Mas a questão de ser gay e oriental ao mesmo tempo só ouvi falar de você! Rsrsrs. Desde a minha primeira assunção, em 2012, até o ano passado, eu me encontrava naquele estado de espera. Hoje, sei muito bem que tenho que fazer acontecer com as minhas próprias mãos. Me encontro aberto e pronto a tudo que tenho que vivenciar nesse mundo gay que eu sei que é apenas o começo de tudo!

Fica aqui o meu muito obrigado a você, mesmo você não tendo consciência do quanto me ajudou! E se quiser mais um japa-gay no seu círculo de amizades, estamos aí! Rsrsrs. ;)

54 comentários Adicione o seu

  1. André disse:

    Nossa MVG que surpresa mais legal ver meu relato em um de seus posts! A primeira vez que comento e já viro post! Rsrsrsrs. Sério, fiquei EXTREMAMENTE feliz em contribuir para o seu blog! E sim, mantemos contato via e-mail! Tem muita história que ainda não te contei!
    Beijos!

    1. minhavidagay disse:

      Legal, André!

      Achei que seu relato é bacana para os orientais que passam por aqui. Tira um pouco do peso de exclusividade das minhas experiências e amplia as referências!

      Mereceu o destaque.

      Falamos então.

      Beijo,
      MVG

    2. Edmo Luiz disse:

      André e Minhavidagay.me add no wpp… ^_^
      Um bjo enorme. E parabéns aos dois… ^_^

  2. Edmo Luiz disse:

    Pois é gente…
    Eh bem difícil achar japoneses e gays aki no Rio… :/
    Será q poderiam me passar algum contato? Amo a cultura japonesa e principalmente os japoneses…
    Esse negócio de ter pau pequeno eh soh baboseira… O importante eh saber usar… ;)
    Kkkkkkkkkkk
    Fico aki… amei o blog… voltarei mais vezes.

    XO XO XO

  3. Caio disse:

    Gente, não sei se é o mundo que é estranho ou se sou só seu.

    EU AMO ORIENTAIS e nunca tive a oportunidade de ter um amigo japa, nunca estudei com um japa, e pessoalmente, se convivi ou interagi com uns 5 é muito.

    Eu sou bi, não assumido, não pretendo assumir isso pra minha família. Adoro japoneses, cultura japonesa, estudo japonês, e pretendo quem sabe morar no Japão um dia. Não idealizo sonhos ilusórios. Não imagino um conto de fadas (ou de animes rsrsrs) no japão. Eu sei muito bem como é, e gosto disso, uma rotina da vida japonesa é muito legal, na minha opinião.

    André, achei você muito legal.

    Só aproveitando, se algum oriental discreto, ou mesmo assumido, tiver afim de um amigo acidental fanático por cultura japonesa, pode me add no skype.

    murgrig@hotmail.com ou me mandar um e-mail ;)

  4. Caio disse:

    Mais uma coisa, eu tenho um amigo japonês virtual, ele mora em outro estado, a gente conversa, na verdade ele é neto de japoneses, curto muito ele, ahhh se eu pudesse me encontrar com ele pessoalmente hehehe

    1. Edmo Luiz disse:

      Pois eh Caio. Tenho o msm sonho q vc…. E quero mto aprender japonês… *____*

  5. Masashi disse:

    Legal o , site tb sou sansei e já passei poucas e boas quando o assunto foi homoafetividade e ascendencia niponica… fui regeitado quando pequeno por familia e meio social nao por ser gay mas por ser filho de quem é. Tenho muitas historias bonitas e engacadas como tragicas e tristes para compartilhar… espero manter contato com mais gays japoneses e ascendentes…adoro fazer amizades! Forte abraco.

    1. Edmo Luiz disse:

      Olá Masashi. Me add no wpp.. postei aki em baixo. Um abraço. ^_^

  6. Edmo Luiz disse:

    Oi gente… voltando akiii… XD
    Gostaria de deixar meu wpp pros japoneses e orientais q quiserem me add… Como havia falado amo a cultura japonesa… E gostaria de conhecer asiáticos gays. Pq eh tão difícil de achar…
    Eh tipo procurar pokémon shiny. Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Quem sabe até algum Carioca, seria mto legal ter um amigo japonês. .. *_________*
    Meu wpp meninos: 21 98101-8031.
    Um bjo e um abraço. 😁

  7. Paulo Almeida disse:

    Muito legal o post, é a primeira vez que leio algo do blog.
    Também adoro a cultura japonesa, e sobretudo os japoneses (o cara que mais me apaixonei é um “sansei”), porém é difícil encontrar japoneses gays aqui em SP.
    Sou fanático por japoneses, quando vejo algum fico praticamente “sem ar”(kkk).
    Parabenizo vc pelo blog e deixo meu contato, caso haja algum “japa” interessado em uma conversa (meretseger2005@hotmail.com).
    Um abraço. . .

    1. Paulo Almeida disse:

      Apenas corrigindo, meu email é paulo.almajida@icloud.com!!!

      1. Paulo Almeida disse:

        Também podem me enviar e-mail pelo paulinhosenninha@gmail.com. Esse é meu novo E-mail, me envie mensagens Ricardo!!!

  8. Junior japinha disse:

    Ótimo post! A minha história é um pouco parecida,rs. Sou descendente de japoneses e também estou à procura de novas amizades e possibilidades. Abraços.

    1. Edmo Luiz disse:

      Olá Junior… Passa o wpp… O meu não eh mais akele ali de cima não… XD

  9. Edu disse:

    feio, gay e japa. não necessariamente nessa ordem. eu me sinto invisível por ser japa. 95% dos gays não gostam de japas. isso é fato. uma vez, há muito tempo, fui com um colega a uma balada, ele acabou ficando com um cara, aí o cara vira pra mim e diz “que pena, se meu amigo estivesse aqui, vcs podiam ficar, ele gosta de japas”, me senti um et. tipo, a pessoa tem que gostar especificamente de japas pra ficar com um. nunca ouvi dizer algo de um loiro ou de olhos azuis ou sarado, tipo “que pena, se meu amigo estivesse aqui, vcs podiam ficar, ele gosta de loiros”. e é como se eu tivesse que aceitar qq um que tivesse tara por japas. mas tudo bem, acho q é a vida, em algum lugar tava escrito q eu seria forever alone.

    1. Edmo Luiz disse:

      Eeeeeita Edu.. XS
      Querendo conhecer amigos não japas, gay q AMA JAPAS. Eh só mandar o wpp… ;D
      Eu nunca tive a oportunidade de conhecer um Japonês Gay. Eh taaaao difícil… XS
      Um bjo pra vcs gente. *—-*

      1. Pedro disse:

        Olha Edu, complicada essa questão dos tipos, acho que já viraram novas “orientações sexuais” cara, eu sou forever alone também, muito mal-resolvido com isto por sinal, mas uma hora as coisas acontecem, acontecem porque tem que acontecer mesmo, e não porque e quando a gente quer que aconteçam, assim é a vida.

        Vc acha que também não sofro por ser sozinho? E eu nem sou oriental nem nada, sou um mestiço tipicamente brasileiro, com o sangue das três etnias majoritárias do país, sou em parte “oriental”, porque os indígenas são originários de regiões da Ásia, mais aparentados com o pessoal que vive na Sibéria, embora algumas das etnias indígenas brasileiras ainda sejam uma incógnita em relação à sua origem.

        Infelizmente a maioria das pessoas vai preferir caras brancos, de olhos claros e cabelos claros, é isso mesmo, esse é o tipo considerado belo pela sociedade. Eu acho que até os orientais são mais o tipo das pessoas que eu, eu mesmo tinha um amigo que era oriental e ele passava o rodo geral, em mulheres e homens, já eu com meus complexos de coitadinho, de inferior, de feio de tudo mais, não pegava e continuo não pegando ninguém.

        Infelizmente de novo, a gente se coloca em posição de inferioridade, esse cara pegava todo mundo, e continua pegando, agora ele deve estar transando com alguém, E eu estou aqui reclamando da vida. Quer dizer, ser “oriental” não foi barreira pra ele, muito pelo contrário ele soube se aproveitar dessa “peculiaridade” pra se dar bem, soube jogar o jogo muito bem, soube valorizar o que tem, e tava cagando se gostassem ou não dele. Enquanto nós, um oriental e o outro não, não sabemos aproveitar as nossas qualidades, para nos fazer valer e conquistar as pessoas que queremos.

        É claro, que nem todo mundo vai curtir a gente, eu não sei você, mas tenho certeza que muita gente vai me rechaçar, me rejeitar, e é claro que vou me sentir muito mal por isso, infelizmente, mas fazer o quê, esse é o preço que pagamos, vc é diferente das raízes étnicas da maioria, e eu sou diferente em outros aspectos.

        Acho que o negócio é tentar ser como esse meu amigo oriental, ele não se importa com nada, eu sou sozinho porque tenho medo da rejeição, porque me sinto humilhado, mas isso faz parte desse maldito jogo, ou seja, eu me levo muito a sério, se eu não importar mais as coisas vão mudar, e talvez esse seja o caminho, não sei se tenho coragem de mudar, ou até mesmo força para tal ato…

        Não sei se é esse o seu problema, mas o que quis fazer foi ilustrar que ser oriental, ser qualquer coisa não é demérito pra ninguém, nas mãos de quem sabe utilizar qualquer característica que antes poderia parecer negativa, pode ser utilizada como uma arma para alcançar o que se quer. Eu não sei fazer este tipo de milagre, te juro, mas talvez você tenha mais sorte que eu.

      2. Ricardo disse:

        Oi Edmo. Você pode passar algum contato seu?
        Sou sansei e busco fazer amizades.
        Abraços.

      3. Jefferson disse:

        Quero conhecer japas….quem quiser me adiciona no japa….

      4. Jefferson disse:

        Quero conhecer japas….quem quiser me adiciona no japa…. Meu zap 94 981578787, só para japoneses, sansei , ninsei..ou nativos.

      5. Jefferson Oliveira disse:

        Procuro por japas …me add no whatsapp 94 981578787…..

      6. Ricardo disse:

        Oi Edmo. Tudo bem?
        Você pode passar algum contato seu?
        Sou sansei e busco fazer amizades.
        Abraços.

      7. Edmo Luiz disse:

        Oooi Ricardo.. Manda um email pra mim ed_mjt@hotmail com seu wpp.. ^—^

    2. Edu disse:

      pedro,

      acho que um dos problemas é ser japa. que isso já me tira da rodada por boa parte dos caras, rs. mas atente ao FEIO que eu escrevi. isso conta horrores. MAIS do que ser japa. porque se vc é japa e bonito, ok. os que gostam de japas, pá! agora japa e feio, aí fodeu tudo. sou mega recalcado mesmo.

      e o pior é que além da minha vida amorosa ser uma merda, todo o resto tb é. mas aí são outros quinhentos.

      não se levar tão a sério é muito bom. queria ser assim.

      mas eu tb sou muito calado. isso piora ainda mais. vai vendo a desgraceira, rs. se eu fosse calado mas bonito, ok. mas japa, feio e calado? inadmissível, rs.

  10. Rodolpho disse:

    Eu não acho que alguém deva se sentir diminuído por ser oriental e gay. Muito pelo contrário: os gays orientais são muito atraentes. Se usarem óculos e tiverem um jeito tímido então…….na minha opinião serão mais atraentes do que qualquer loiro ou moreno trabalhado em academia.

    1. Ricardo disse:

      Oi Rodolpho. Você pode passar um contato seu?
      Sou sansei e busco fazer amizades.
      Abraços.

  11. Dani disse:

    Olá, eu não conhecia esss blog alias eu vim parar aqui por acaso enquanto pesquisava sobre comunidade gay no japão -q sera que eu poderia entrar em contato com vcs? ^-^’
    Eu estudo japones a pouco tempo queria ter mais amigos japas principalmente gays :P hehe sem falar que moro no armario @.@ -q

    1. Ricardo disse:

      Oi Dani. Você pode passar algum contato seu?
      Sou sansei e busco fazer amizades.
      Abraços.

  12. Ricardo disse:

    Oi Dani. Você tem pode passar algum contato seu?
    Sou sansei e busco por amizades também.
    Abraços.

    1. Dani disse:

      claro que posso sim ^0^ to mesmo a procura de amigos da mesma condição que a minha, mas tem uma coisa que notei é que eu só vi meninos o-o espero que não se importe de eu ser uma garota, me mande um email lucydicloniu@gmail.com obrigada sz

    2. Mario Sashihara disse:

      Olá Ricardo! Você pode me passar seu contato? também busco por amizades.

    3. Mario Sashihara disse:

      Ricardo também sou sansei e gostaria de ter o seu contato. Abraços!

    4. mariosashi disse:

      Olá Ricardo! Estou esperando um contato seu para iniciarmos uma amizade. O meu é mariosashi@outlook.com tenha um ótimo dia!

  13. Mario Sashihara disse:

    Ricardo me esqueci de acrescentar que sou sansei.

    1. Mario Sashihara disse:

      Não estava conseguindo visualizar meus comentários, por isso se repetiram. Desculpem.

  14. Olá Ricardo! Gostaria de me corresponder com você. Também sou sansei e desejo fazer amigos.

  15. Mario Sashihara disse:

    Bom dia Ricardo! Gostaria de ter o seu contato para trocarmos figurinhas sanseis o meu é mariosashi@outlook.com.
    Bom dia a todos!

  16. Ruan Carllos disse:

    Boa noite, sou novo aqui no blog e gostaria muito de conhecer japoneses, gosto muito da cultura e desses lindos olhos puxados, se algum japonês quiser fazer amizades ou possibilidades estou aberto! Sou branco dos olhos azuis mas a vida também não foi esse mar de rosas pra mim!

    wpp 67-91252501

  17. Leandro disse:

    Me chamo Leandro e sou Japonês, durante a minha infancia sempre me achei o patinho feio da escola, conforme fui entrando na adolecencia e criando vaidade, fui ficando mais bonito.
    Quando fiz 18 anos fuj morar no Japão, e la por estar rodeado de pesssoas fisicamente iguais a mim, me deparo com meu ego sendo inflado diariamente, hoje me acho um asiático muito bonito, modestia a parte, e também por não ter os traços “comuns” de um JAPA, porem ao retornar ao brasil me vejo novamente me sentindo como o patinho feio, nos 3 primeiros anos após ter voltado fiquei com estima muito baixa, hoje graças a deus consegui ligar o meu botão do FODA-SE, mas o fato de lidar com a rejeição nunca é facil para ninguém, mas o pior não é o fator rejeição e sim pelo que estou sendo rejeitado. E mesmo quando o caras tentão elogiar com um: Nossa não curto asiaticos mas você eu pegava. Não consigo ver como um total elogio.
    E quem quiser me add no face fiquem a vontade amigos nunca é d+. So procurar leandro akio hono

  18. Masashi disse:

    Leandro quando morei no Japao tive a mesma impressao que vc rs engracado e que eu como ja havia mencionado aqui no site me sentia diferente e feio mas depois de ir pra la vi que eu era lindo e me aceitei… apesar de eu ter um historico de aceitacao dificil e de viver no meio de familia preconceituosa e religiosa hj em dia me sinto diferente porem de um angulo muito melhor afinal sou mestico… ano passado estava radiante quando ao assistir tv vi que a miss japao 2015 (ariana miyamoto) era mestica e o melhor eramos parecidos fisicamente falando (mesticos olhos amendoados cabelos ondulados pele morena filhos de negros x japoneses) me senti feliz pq alguem parecido cm eu estava sendo estilizado por nao seguir padroes esteticos impostos pela midia e mesmo assim a miss japao permaneceu firme corajosa e com seu ideal inabalavel representando uma nacao potente como o japao e quebrando paradigmas com sua singularidade e coragem. me orgulho de ser mestico oriental! espero que nao apenas vc e eu passe por cima de preconceitos e estilizacoes mas que todos os asiaticos e mesticos asiaticos que vivem aqui no brasil possam seguir em frente com o coracao aberto para a frase SER DIFERENTE E NORMAL E SER NORMAL E SER DIFERENTE. quem quiser fazer amizade me adc no zap 21 990013695 abracos

  19. Leandro disse:

    Nossa fiz um coment escrevi e escrevi mas nao sei pq nao aparce.

    1. Ric disse:

      Leandro, Acontece o mesmo comigo, meu comentario nao aparece. Olha, nao se dintam mal, voces sao lindos!! :) japas sao lindos e encantadores. Quem quiser me conhecer e bater papo com um amigo gay, 965935445

  20. Ric disse:

    Leandro, Acontece o mesmo comigo, meu comentario nao aparece. Olha, nao se dintam mal, voces sao lindos!! :) japas sao lindos e encantadores. Quem quiser me conhecer e bater papo com um amigo gay, 965935445

  21. Wilber Lopes disse:

    Desde pequeno sempre tive uma grande afinidade por descendentes de japoneses e pela cultura nipônica. Acredito que boa parte disso se da pelo fato da região onde moro e por crescer próximo de muitos japoneses.
    Quando fui descobrindo a minha sexualidade, fui percebendo também que além de gostar de garotos eu sentia algo mais forte pelos que eram descendentes de japoneses, aí eu sempre acabava tendo uma paixão platônica pelos meus amigos japoneses.
    É complicado gostar de japoneses, pois é muito difícil de saber quando eles são gays. Enfim, por destino acabei conhecendo um e namoramos por quase 3 anos, infelizmente terminamos, pois cada um seguiu por um caminho diferente. Hoje eu ainda continuo em busca do amor da minha vida e espero que ele seja um japinha.
    Se alguém quiser fazer amizade meu e-mail é: wilberlac@gmail.com

    1. Masashi Shoji disse:

      Wilber desiste não… Força Foco e muita fé. Só cuidado pq tem muito homem mané por ai! :B

      1. Wilber Lopes disse:

        Obrigado pelo conselho Masashi Shoji. Pode deixar que não vou desistir não!

  22. Junior Japinha disse:

    Bom, também sou descendente de japoneses e já fui muito encanado. Mas hoje, estou mais leve, livre e solto, rs. Estou em busca de novas amizades.

  23. Mari disse:

    Eu to procurando algum casal gay com descendência que queira ir para o Japão. Eu sou da 3ª geração e quero levar minha namorada pra lá. Podemos fazer uma troca e nos casar.. infelizmente essa é a única forma de irmos para lá. Interessados mandem email:moraes90@hotmail.com.br

  24. Masashi disse:

    Oi galerinha… meu contato mudou! Pra quem quer fazer amizades! Meu whatsapp 21 991770880 / skype mrshoji@live.com >.<

  25. Paulo Almeida disse:

    Bom, estamos em 2017 mas ainda tenho esperanças de encontrar um japinha pra chamar de meu. Estou conversando com um que eu conheci aqui, mas ás vezes penso que ele não quer nada. Bom, estamos aí pra o que der e vier! Pauloalmeida13@icloud.com! Um abraço!

  26. Kazuo Katuki disse:

    Olá, pessoal. Meu nome é Kazuo. Sou professor de idiomas. Eu também sou nissei. Já cheguei aos 5.0, mas acho incrível como as pessoas acham que ainda estou chegando nos 4.0 (quarentão). Parece que a genética nipônica favorece, nos dando um look mais jovem. Quando morei lá eu também percebia isso! Difícil acertar a idade dos japas!
    Moro no interior e, sendo assim, são raros os casos de contato com orientais aqui. Salvo um ou dois colegas de escola que tive no passado, onde é que esse povo se encontra? Será que voltaram ao Japão como “dekasseguis” (ou, trabalhadores legais)?
    Pra piorar, Japa-gay parece coisa de outro mundo! (sim, Aliens mesmo! ) Uns dizem ter encontrado, mas eu não conheci nenhum até agora! Doko ni iru ka? (=Kd eles?)
    A idade vai avançando e eu tenho me sentido só. Queria sim conhecer mais pessoas como a mim. Foi só no Japão mesmo que me senti em casa. Tive até um ou dois relacionamentos com gays de olhos puxados lá. Até peguei asiático da Malásia e outro que nem sei se era filipino ou tailandês, rrss. Sou tímido pra essas coisas. E a gente falava mais inglês lá do que japonês, kkk.
    Como alguns daqui mencionaram, também tenho medo de envelhecer sozinho. Tenho saído pouco de casa. Minha companhia frequente tem sido meus cães e a televisão, ou melhor, Internet (Netflix e similares).
    O interior tem ficado violento atualmente. Um amigo (gay) foi esfaqueado recentemente quando roubaram sua moto ao sair de uma balada. Isso me deixa com mais medo também de sair à noite.
    Furtaram minha moto mês passado no início da noite, em frente à garagem. Não deu tempo de guardá-la. Sorte que eu estava dentro de casa!
    País miserável este nosso!
    Saudades do Japão, onde, por algum tempo me senti feliz…
    Beijo no coração de todos!
    Boas Festas e Feliz 2018!
    Meu WhatsApp, se alguém interessar manter algum contato é: (19) 991667433

  27. Diego Tadashi disse:

    Boa noite, Kazuo,
    Esse feriado me fez refletir, no porquê continuo dentro do armário.
    Tenho 48 anos, sou nissei. Cuido-me com uma dieta balanceada, malho e evito aqueles finais de semana com excesso.
    Na rua, vejo que alguns caras, os mais novos, os quais me atraem, até flertam. Mas nessa hora, sinto-me com vergonha e penso se tem alguém conhecido me observando.
    Minha vida social é limitada ao pessoal do trabalho e alguns poucos no local em que malho.
    Graças a Deus, tenho meu próprio apartamento, meu carro e uma certa medida de conforto que a carreira me proporciona.
    Descobri que sou um escravo da sociedade. Perdi 10 kg, em 4 meses, fazendo ajustes, senti-me mais atraente.
    Nos domingos, saia de casa e ia a pé até a Av. Paulista, para relaxar e observar as pessoas.
    Venho de uma família tradicional. Mas quando me abri com meu pai ele me disse que me amaria do jeito que eu fosse, independentemente das minhas escolhas. Nunca pude imaginar que eu pudesse amá-lo mais ainda.
    Mas o tempo me mostrou que ter uma relação homo afetiva é difícil, até porquê eu buscava em lugares que não propiciariam isso, tanto no Japão quanto aqui. Então, novamente, entrei no armário.
    Então desde 2004 até a presente data me refugiei no âmbito religioso, o qual supriu minhas necessidades.
    Mas devido ao preconceito de gênero, vi que meu ser e meus atos me levaram a ser execrado.
    Hoje, entro em salas de bate papo, e vejo a futilidade humana.
    Quero namorar um cara mais novo, que tenha uma boa cabeça.
    Hoje, posso dizer que não sinto-me o patinho feio quando vou em diversos locais, como metrôs, arredores do centro, mercados e shoppings.
    Espero que seja o início de uma amizade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s