Por onde anda a ideologia?


Ideologia foi um nome bastante carimbado na década de 80, época da minha adolescência, quando o Cazuza cantava tal conceito.

Estamos em ano eleitoral, que deveria ser motivo de expectativa acima da Copa. Mas aqui, como bem sabemos, a coisa acontece ao contrário. O que me resta é esse recôndito cantinho dos despejos mentais, de singelos 16 mil leitores por mês, se comparado a nossa população.

O amigo Fernando Lima me questionou na sexta-feira: “Onde estão nossos compatriotas idealistas?” e assim, o pano pra manga se prestou para uma pequena toalha de tricotar por aqui. Vou retomar o assunto a partir das passeatas de 2013 e utilizar as agulhas de tricô como cúmplices da minha falta de cultura política. Mesmo assim, eu tento.

Antes de mais nada existe um grave erro na frase: “política não se discute”. E é um erro advindo da falta de nossa sensibilidade, no momento que tudo que é elevado ao nível de conversa (ou discussão) repetidas vezes passa a ser apropriado pela cultura, pela sociedade. Política deve ser conversado sim e, fatalmente, discutido. Se nunca trouxermos o tema para a mesa de bar, às reuniões nas escolas e às conversas no sofá de casa, quando é que nos tornaremos indivíduos com consciência política? E a tal da consciência é tema que reverbera no Blog desde os primórdios de 2011, quando tal moitinha que é o MVG ganhou suas primeiras mudas.

A mim, o gigante letárgico que despertou em 2013, ecoou em pequenos movimentos. Poderia citar um que ficou marcado aqui em SP, da invasão no Instituto Royal, do resgate dos mais de 100 Beagles que eram cobaias para testes laboratoriais.

Sabe quando atiramos uma pedra num lago calmo e formam aquelas ondas? Pois bem, foram um ou dois elos, quantidade pífia em comparação a massa que saiu as ruas em 2013, justificada pela pura e simples falta de ideologia, da liderança, de um senso político e de uma organização. O Rolezinho é a mesma coisa e confesso já ter idealizado tal movimento, ou um embrião dessa ideia, para uma “invasão” no Shopping JK no começo do ano passado, quando um ex-funcionário – por ser das classes minoritárias – não se sentia confortável em entrar em tal estabelecimento. Lembrando que já fui casado com um rapaz dos puxadinhos de Vargem Grande Paulista e que, para minha surpresa na época, tinha calafrios ao entrar no Shopping Morumbi.

A passeata do ano passado, que começou pelo “movimento dos 10 centavos do passe de ônibus” foi um grande punhado de sparks de insatisfação, caótico, confuso, míope e que justificou a nossa cultura apolitizada. Justificou a falta de cultura e outra obviedade: um povo bastante insatisfeito com muita coisa mas sem se fazer entender. Daí, de novo volto ao começo: política deve sim entrar em discussão mesmo que a timidez pela própria falta de cultura política se faça presente hoje. Há de se haver um começo, ora pois!

Quero dizer que o Fernando Collor de Mello, mártir do Impeachment dos anos 90, virou formiga em comparação aos grandes feitos de corrupção das lulas de nosso atual momento. São 3 mandatos presidenciais consecutivos que o PT impera, por intermédio do homem de 4 dedos cujo filho é um dos donos da Friboi (monopólio das carnes) e que tem como súditos os grisalhos do mensalão. Nunca minha gente, nunca desde as Diretas Já, quando o mineiro Tancredo Neves tornaria-se o nosso primeiro presidente pós-ditadura, houve tanta picaretagem nesse país.

O bolo de dinheiro roubado sob o mastro da estrela branca na bandeira vermelha é incomparável a qualquer ato corrupto do passado pós-ditadura.

Permitir a recandidatura da Dilma é quase que aceitar uma nova ditadura. Ok, talvez não seja tão radical assim. Mas o quarto mandato do mesmo “time” nos tira o poder da própria democracia. 16 anos é um tempo precioso e definitivo para o crescimento de um país.

O phoda é que ser da “esquerda” virou moda. Tem até “esquerda caviar” e está cheio de esquerdista que não sabe nem dizer a ordem dos presidentes do Brasil, a partir da nova democracia, sem consultar o Google! Pense rápido: você sabe? Quem era o ministro da economia no mandato do Itamar Franco? Quem era o vice de Tancredo Neves?

Dizem que o Planalto Central do Brasil está muito longe das realidades e demandas da população. E está mesmo. Esse fosso, largo e profundo é também de nossa responsabilidade.

Lembro muito bem quando o Duda Mendonça foi dar palestra na ESPM. Estive lá e vi o barbudinho se manifestar no palco. Partidário do PT, chegou ao Lula na eleição que o FHC ganharia o primeiro mandato. O Lula recusou o plano de marketing político do Duda. Nesse Lula eu até confiava para, depois, chamar o Duda e fazer tudo, tudo que a gente já sabe mas esquece ou ignora porque ser da esquerda caviar é cool hoje em dia.

Parafraseando Paulo Freire, educador renomado e petista falecido, assim estão se comportando nossas lulas de hoje: “Quando a educação não é libertadora, o sonho do oprimido é ser o opressor”.

Pensem bem no voto esse ano pois os próximos 4 podem ser definitivos para manter o Brasil em algum desenvolvimento. E desenvolvimento significa condições de trabalho e estudo, no mínimo. E lembrem-se: comeu Friboi, jogou dinheiro no bolso do Lulinha.

10 comentários Adicione o seu

  1. Desinteressado disse:

    Achei esse interessante a proposta de discutir política na mesa do bar, mas esse bandeira anti-PT me fez jurar que li uma matéria da Veja.

    1. minhavidagay disse:

      Ainda bem que eu não a leio! Não tenho essa referência! ;)

      1. Gabriel disse:

        Agora você subiu ainda mais no meu quesito MVG. Época salva? ;-)

  2. Adônis disse:

    Discordo totalmente do “Desinteressado”, achei ótimo o MVG ter mantido um posicionamento. A imparcialidade é uma das coisas que mais atrapalham a discussão política na sociedade civil, o cidadão não pode ser imparcial, não existe isso! O nosso país sobre desse mal, a maioria das pessoas apedreja quem defende suas convicções políticas sem máscaras e sem pudores, e se essas opiniões saírem um pouco do que entendem ser uma ideologia de esquerda, pronto, instala-se o anti-debate, a irracionalidade, a política vira questão moral, a esquerda é fascinante, detentora de todas as verdades, os de direita são monstrons capitalistas, desumanos…
    Devo ser centro-direita, se é que essas posições possuem algum significado na realidade brasileira, acho que no Brasil, por causa de nosso subdesenvolvimento, não há como em outros países, estabilidade para se conduzir políticas únicas, de direita ou esquerda,mesmo neles é difícil, porque aqui há tanta coisa para se fazer, que um bom governante deve ser de direita ou esquerda de acordo com a necessidade do país. Não vejo na Dilma essa postura, ela é uma péssima ‘gerente’, a política única do PT, está deixando o país enferrujado antes de dar saltos de grandiosidade, os programas sociais do governo parecem ser a razão de existir do Estado, se alguém questiona o governo PT acerca de nosso desenvolvimento econômico é apedrejado, é taxado de neoliberal, burguês malvado. Ora, se o país não cresce, não se moderniza,até quando vai haver dinheiro para bancar essa distribuição de renda, que por ser falha, é fim em si mesma, não estimula o crescimento pessoal dessas pessoas, e com isso o país não produz divisas ou inovação com esse dinheiro gasto.

  3. Gabriel disse:

    Excelente post como sempre. E dessa vez tocou em um assunto não muito discutido por aqui (como em qualquer outro lugar) então n posso ficar de braços cruzados e não comentar nada.

    Política é daquelas palavras que só de ouvir da dor no estômago. A associação que damos pra ela (e com razão) e’ como uma seita capaz de trazer a tona o pior do ser humano. Mas como somos um povo historicamente submisso e covarde (nenhuma das nossas mudanças de Regime teve qualquer participação popular) preferimos nós afastar dela por isso, ao invés de enfrenta-la. Da pra ver isso pelas supostas pesquisas. Mesmo todos querendo mudanças, a maioria vai continuar votando no PT, porque prefere o status quo a arriscar qualquer coisa. Mesmo com a forma que estamos ser marcada pela corrupção, crescimento minúsculo (o governo comemora crescer 2% ao ano!!!) e serviços horrendos.

    Mas também há outro problema: a falta de oposição a altura. Essa vai ser minha primeira eleição, e mesmo ainda não tendo investigado suas propostas para a economia e sociedade, acho o Aecio o voto mais viável. O Campos já foi petista e n tem minha confiança, e a marina silva? Pensei seriamente em votar nela, até se aliar ao campos e depois dizer q apoia o Feliciano e que ele não deve ser julgado por suas declarações de preconceito. Revoltante.

    Enfim, não me excluo do grupo dos alienados políticos, afinal não sei responder a nenhuma das perguntas que você fez, embora não tenha vivido na época deles. Mas já estamos há 12 anos com o mesmo partido, e regredimos tanto nós últimos 4 que não da pra imaginar mais 4 com essa mulher no poder. Você viu o discurso dela que “quem critica o MCMV nunca trabalhou, ralou, etc”? Discurso altamente eleitoreiro e tendencioso, querendo jogar uma classe social contra a outra. Muitas pessoas fizeram a própria fortuna, e você é’ uma delas.

    Nem me fale da esquerda caviar. Tive professores esquerdistas durante toda minha formação, aliás toda a classe média brasileira teve. Por isso vejo a extrema esquerda só mesmo jeito que a direita. Tive até um prof de história que defendia teorias de conspiração como assassinato de Vargas e que os EUA causaram o 11 de setembro! Como diabetes, a exposição excessiva a esquerda me fez insensível a ela. Prefiro ser um jovem sem coração do que um adulto (o que pela lei já sou) sem cérebro.

    Por ultimo, coitada da Friboi hein? Mas com o lulinha lá em cima não da pra aguentar. Eu até gostava de la, mas só por causa do Tony ramos na propaganda rs

  4. minhavidagay disse:

    Eis o ponto, amigo Gabriel. Na minha opinião, os conceitos de esquerda e direita não se aplicam mais em nossa realidade política. Vivemos um momento do oportunismo quando, por exemplo, Lula e Maluf apertaram as mãos bem recentemente. E o pior é que tem gente dita esquerdista que não entende porque foi tão avassalador essa união, comprometendo o próprio conceito de esquerda.

    Se ser de esquerda é acreditar que o homem não foi a Lua, que o fatídico dia de 11 de setembro foi uma conspiração do prório EUA, entre outros feitos do tipo, bem como existir um espírito comunista entre artistas endinheirados da Globo, não, eu não sou de esquerda pois não posso corroborar com esses posicionamentos e crenças.

    Também acho arbitrário um posicionamento esquerdista embasado num repúdio as mídias tradicionais como a Veja ou até mesmo a Globo. Não é isso que nos faz esquerdistas. É uma perda geral de conceitos e clareza. É um rebordó a bem da verdade.

    Tampouco sou de direita.

    No final, como eleitor e entendendo o Brasil como uma grande máquina para ser administrada, precisamos sim atualizar e renovar os administradores. Dar mais quatro anos para uma mesma linha partidária, que notoriamente foi envolvida no maior emaranhado corrupto que historicamente o Brasil já teve, é no mínimo alienação ou falta total de visão ou perspectivas.

    O PT já foi um partido que traduzia as demandas da minoria. O Lula, antes do Duda Mendonça, preservava suas ideologias. Em outras palavras, já cumpriu bem o papel de oprimido das linhas de Paulo Freire. Hoje, pela nossa educação não libertadora, o partido e seus líderes seguiram fielmente a linha dos opressores e, pelo visto, gostaram do poder e, sim, formaram a maior cadeia autoritária que o país já teve.

    Mas como o fosso entre a governança e a população é enorme e vivemos uma obrigação diária de cuidar do que é nosso, estão lá, no altar pintando e bordando, jogando algumas migalhas e fomentando esse culto da esquerda que me diz que o homem não foi para a Lua e que o 11 de setembro foi armação do próprio States.

    Apolitidazos como somos não sabemos nem definir bem os conceitos, dividir o joio do trigo e ter clareza de valores. Mas é necessário exercitar.

    Cá estão as nossas tentativas.

  5. Gustavo disse:

    “Mas o quarto mandato do mesmo “time” nos tira o poder da própria democracia.”
    Tb não sou um grande entendedor de política, mas acho que nossa democracia já está a perigo, pq o “time” que está lá, a despeito de tudo de ruim que já veio a tona nos últimos anos, começa qq eleição com 40 milhões de votos decorrentes do medo de que o bolsa-família acabe!
    Assim fica quase impossível mudar o rumo do jogo…
    Muito triste ver como o Brasil ainda vive, descaradamente, da exploração da miséria. E ainda temos que “engolir” essas estatísticas que dizem que quem ganha pouco mais de 300 reais por mês é classe média!!!
    E aí repito aqui as palavras do Adônis, lá em cima: “se o país não cresce, não se moderniza,até quando vai haver dinheiro para bancar essa distribuição de renda, que por ser falha, é fim em si mesma”.
    Será que só veremos o “fim” disso qdo o país já estiver no fundo do poço, e isso não se sustentar mais?
    E aí vai restar o que?

  6. Ali disse:

    É isso aí MVG,concordo INTEGRALMENTE com você.
    Precisamos urgentemente tomar outros “rumos”,porque seguir ladeira a baixo é algo que não devemos mais tolerar de NENHUM futuro governo.

    Eu falaria mais coisas,mas esses dois textos expressam perfeitamente o que eu tinha em mente:

    1- “Revista Francesa” resume o Brasil em todos os sentidos!
    http://videosissoebrasil1.blogspot.com.br/2014/02/revista-francesa-resume-o-brasil-em.html

    Onde estão os indomáveis?
    http://arthur.bio.br/2014/03/10/cidadania/onde-estao-os-indomaveis#.UyiZmD-wIXE

    Pra finalizar,cito aqui uma frase de Edmund Burke:
    “Para o triunfo do mal,só é preciso que os bons homens não façam nada.”

    Não devemos tratar a política,principalmente a NOSSA, de maneira periférica e derrotista. Ela,a política, deve ser o PONTO CENTRAL de todos os nossos esforços de melhoramento da cidadania em uma Democracia.
    Nossa Democracia é bastante recente comparada a outros países,possui muitas falhas ainda,mas é a única que temos,portanto,devemos cuidar e preserva-la muito bem!

    Devemos afastar de nossa vida política,aqueles partidos e ideologias que querem transformá-la em algo MEDÍOCRE e AUTORITÁRIO,por isso digo,Democracia e PT não combinam.

  7. Adônis disse:

    http://copadomundo.uol.com.br/noticias/redacao/2014/02/25/cuidado-texto-da-france-football-que-circula-no-facebook-e-falso.htm Aqui diz que o texto é falso, contém exageros de tradução e alguns acréscimos. Mas eu só li verdades no link que você mandou, não tive visto esse texto. Até lembrei do trem-bala, isso tinha fugido totalmente da minha mente!

    E é só o PT? Acho o PMDB o sustentáculo de toda essa política mesquinha e oportunista, ele tem muito poder e coligado com o PT ou não, ele trará mais problemas em 2015,independente de quem ganhe a eleição. A ideologia deles é que “sem PMDB não há governabilidade”, e nessa busca insana por governabilidade por parte do Executivo, o país sangra.

  8. Gustavo disse:

    Li o artigo original da revista francesa (tenho o pdf aqui), e de fato ele não relata todas as informações listadas no texto que o descreve. Mas ele tb não é nem um pouco conivente ou parcial em relação ao que fala sobre o Brasil… são citados, por ex, os atrasos nas obras, os custos absurdamente maiores que o previsto, aeroportos em situação “duvidosa”, as manifestações do ano passado e o povo revoltado com os gastos da copa, cita a quantidade de pessoas que morreram em decorrência da violência no futebol desde 1988 e como o país está “se preparando” pra garantir a segurança durante o evento, e fala bastante tb sobre a questão do calor que as seleções estrangeiras terão que enfrentar em algumas cidades-sede.
    Enfim, mesmo não sendo tããão crítica quanto o autor do famoso texto foi, a revista francesa descreveu um pouco das mazelas deste nosso país na organização desta copa, e o quanto a FIFA deve ter se arrependido de escolhê-lo! :-/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s