Minha Vida Gay – Encontro com ex-namorado na véspera de aniversário


Falando direto de Carrancas, do retiro que conheci no Carnaval, resolvi comemorar meu aniversário, que será no sábado, de maneira inesperada. Ao invés de passar em branco ou em festa, resolvi passar no verde, em meio das incríveis cachoeiras que apresentei pelo MVG, dos passeios à cavalo e curtindo certa solitude.

Meu sócio veio comigo pois estamos para fechar projeto com a pousada. Juntei o útil e o agradável, nesse ímpeto de comemoração nova de 37 anos, e fugi para esse meu novo canto inspirador e revigorante de Minas Gerais.

————————–

Antes de entrar no tema do post, quero deixar registrado aqui uma impressão: embora esteja num local de “conexão remota”, soube pela Internet que rolaram hoje as manifestações contra a Copa/FIFA em São Paulo e no Rio de Janeiro. Embora ainda de número baixo de pessoas, é um momento muito oportuno para que o mundo perceba que as condições sociais do Brasil não estão boas. Que nós, brasileiros, estamos insatisfeitos. Particularmente, acho uma grande besteira protestar na atual conjuntura para esse veto da Copa, já que tivemos essa oportunidade antes do país ser eleito. Mas, por trás desses atos que começaram hoje, num contexto de holofotes mundiais direcionados para o Brasil devido ao próprio evento futebolístico, qualquer tipo de manifestação social de insatisfação me parece inteligente. Temos dezenas, para não dizer centenas de queixas e apelos. É uma boa hora para gritar. E um grito que não será de gol.

Imaginem que o mundo inteiro está se conectando às nossas terras tupiniquins devido a esse enorme evento esportivo. Ao mesmo tempo, é ano eleitoral para nada mais, nada menos que a substituição (ou não) da atual Presidência da República. Qualquer manifestação contrária às governanças (um povo insatisfeito é responsabilidade imediata de quem governa), com o mundo antenado em nosso país, é uma pressão a mais, uma exposição, para o atual presidente e qualquer candidato. É uma boa oportunidade que temos para exigir.

Finalizado meu parênteses político, voltemos ao foco do MVG.

————————–

Ontem finalmente pude reencontrar meu ex-namorado depois de 4 meses de “castigo”, podendo ter contato apenas por GTalk (condição que ele havia solicitado como maneira ideal para a sua superação do término). Já era tempo de desenvolver tal amizade que havia virado “promessa”, não de político, mas de duas pessoas que compartilharam um relacionamento durante quase 4 anos e que tinham findado um namoro sem grandes crises, traições e etc.

Meu ex veio com um presente para o meu aniversário e fiquei feliz com o gesto. Sugeri que viesse em casa para jantarmos na região e, assim, poderia rever minha cachorra, que fazia um tempo que manifestava saudades. De quebra, minha dog ganhou Biscroks.

Meu ex já está namorando, e apesar de um começo de nova relação um tanto tumultuado (rs), me pareceu sereno e consciente.

Ao final de nosso namoro, uma questão, uma “interrogação” bastante grande que pairava tanto a mim quanto a ele, era entender porque meu tesão havia acabado, apesar do carinho e a vontade de estar junto prevalecerem até o fim. E nesse tempo que passou, minhas ideias clarearam e expressei já a situação por aqui: namorar com ele, foi namorar com mãe, amigas, irmã, um modelo familiar muito conservador e um punhado de influências de terceiros. Foi realmente um peso que começava a se manifestar, talvez, ao final do primeiro ano, mas que mesmo assim nos manteve juntos por quatro.

Apresentei abertamente esse assunto no sentido de uma “dívida de resposta” que havia deixado em aberto.

A noite foi no geral bastante agradável embora em alguns momentos pintassem uns picos de tensão – rs. Natural já que, no meu ponto de vista, mesmo ele namorando e eu vivendo tal emancipação adquirida, a energia de tanto tempo juntos não se dissipa em quatro meses. A não ser que um certo orgulho ou vaidade dissesse o contrário. Não é meu caso.

Pudemos estar juntos sem nos “matar”, sem recaídas e sem grandes crises. Senti que o encontro serviu, pelo menos para a minha parte, como mais um estágio do desapego, a aceitação de que nossa história virou passado e que temos agora novos caminhos pela frente. Estar cara a cara, retomar alguns assuntos e saber de atualidades da vida foi parte de um exercício de superação.

Nem tudo que foi falado desceu doce, nem a mim, nem a ele. Mas creio eu que nada do que foi dito foi amargo suficiente para estragar o próprio encontro e possíveis reencontros.

A sensação que ficou agora, sob o teto do chalé em Minas Gerais às 23h50, é que novos passos foram dados em estradas distintas. Os momentos de vida diferentes que, antes de terminar a gente não queria assumir, hoje se apresentam com muito mais clareza por intermédio de atos.

Acho que realmente seremos amigos íntimos num breve futuro. Caso ele leia esse post, já que está se arriscando a ver alguma coisa ou outra agora, fica aqui a minha mensagem digirida: “apesar do ‘susto’ (rs) pode contar sim com esse novo amigo que, embora de valores um tanto firmes ou retilíneos em alguns aspectos da vida, de um olhar sobre a família diferente da sua, entende bem que as fases são tão, tão particulares e individuais. Faço pensamentos positivos por você. O amor de ontem tem se transformado e deve se manifestar de um jeito novo. Parabéns para nós, se conseguirmos”. :)

3 comentários Adicione o seu

  1. Wellington disse:

    Primeiramente vou expor sobre o manifesto político
    Concordo com vc quando diz q os protestos contra a Copa deveriam ter ocorrido muito antes, assim poderíamos evitar custos desnecessários, mas já q não vieram, q os protestos se façam visíveis para expor a indignação do povo brasileiro.(algo como antes tarde do q nunca)
    Qto ao encontro com o ex, boa sorte para os dois na nova jornada.
    Saiba q te considero uma pessoa absurdamente evoluída e quase um guru, seu texto sobre o ex só confirma as boas impressões q eu tenho de vc
    Parabéns pelo novo contrato com a pousada(e serio qual o segredo? Não tenho esse dom da prospecção de clientes :/ )
    Bjs

    1. minhavidagay disse:

      Oi Wellington!
      Que férias longas, hein? Um dia quero ser assim! :P

      Well, obrigado pelos elogios. Sobre prospectar clientes, o segredo é aprender a lidar com as pessoas mais diferentes possíveis. Quem sabe a gente não marca um dia para bater um papo sobre a vida, o universo e como prospectar? (rs)

      Bjo,
      MVG

  2. Wellington disse:

    Assumo q as férias foram longas a sócia quase pirou na minha ausência, mas dei uma ajudinha a distância.
    Qto ao encontro adoraria. É um encontro com um ídolo (afinal sou seu fã). Basta marcar q estou disponível.
    Um grande abraço

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s