Vida gay de A a Z

Há exatos 3 anos iniciei o Blog Minha Vida Gay. Entrei nessa onda de “blogueiro”, descomprometido, numa intenção de compartilhar com os possíveis leitores e seguidores os anos de minha experiência e vivência antes e depois do armário. Hoje já são 14 anos que sou gay assumido para os diversos grupos sociais. São 14 anos que sou assumido, fundamentalmente, a mim.

Indo contra todo meu conhecimento da área, já que atuo com web e marketing, preferi por criar um blog com dicas, devaneios e reflexões focados nos textos, textos longos, num contexto social que – como bem sabemos – é muito mais imagético e visual hoje em dia. Essa foi a primeira “regra” que infringi e não imaginava que com isso pudesse atrair muita gente. Não tinha essa pretensão.

O primeiro post foi dedicado ao tema do casamento gay. Naquele contexto, era a bola da vez e vejam só: três anos se passaram. De lá pra cá, foi o beijo gay na novela, artistas, jornalistas e outras figuras da mídia escancarando a própria sexualidade, alguns incidentes homofóbicos em São Paulo e muita, muita naturalidade nas ruas e avenidas principais da cidade. Estamos cada vez mais normativos, pelo menos em ares como a minha capital.

No princípio do Blog, lancei temas mais gerais, didáticos, curiosos e comuns à nossa realidade: “ativo X passivo”, “masculinizados X afeminados”, “como saber se meu amigo é gay”, “a paixão por um amigo hétero”, “as sensações do primeiro beijo e das primeiras transas” e, até hoje (e acredito por longos anos), essas serão as questões que irão circundar nossa adolescência, juventude e até mesmo a vida adulta, para aqueles que estão desvendando a própria homossexualidade em passos miúdos ou passos juvenis.

Nesses três anos foram centenas, senão milhares de contatos por e-mail ou comentários no próprio Blog, que me aproximaram de realidades comportamentais e sexuais diferentes. Eu mesmo, para quem acompanha o MVG desde o começo, nesses três anos mudei minha percepção sobre os bissexuais, quando outrora achava que era pura transição do hétero que não conseguia romper com suas próprias questão para ser gay. Hoje para mim a bissexualidade pode ser um estado mesmo. Não somente bissexuais vieram se manifestar, assim como outras dezenas ou centenas de variações tão amplamente tematizadas por aqui. Busco abstrair e compreender essas variações pelo simples fato de formarem grupos reais que se identificam.

Me sinto muito realizado pelo teor de conteúdo que promovo no MVG, no sentido de trazer para perto de mim seres pensantes que, apesar de todo estímulo da cabeça de baixo (rs), se importam e se preocupam em desenvolver a cabeça de cima.

Ontem foi um dia particularmente especial, quando o Blog atingiu a marca de mais de 500.000 views, ou, os textos do MVG foram lidos mais de meio milhão de vezes. De certa forma hoje, assumo aqui um papel de formador de opinião, pautado em referências e não em imposições. O Blog MVG é opinativo. Identifique-se ou não, sem obrigação.

Minha Vida Gay 3 anos - Meio milhão de textos lidos!
Minha Vida Gay: 3 anos – Meio milhão de textos lidos!

Eu quero mesmo que as pessoas – nos casos os gays – reflitam sobre si, mesmo quando algum assunto gere algum tipo de incômodo, revolta ou raiva. E quando gerar incômodo, revolta ou raiva quero que se questionem: “por que estou incomodado?”. Isso é um primeiro passo para um autoconhecimento. Entender os próprios sentimentos é um dos papéis que trago para cá também.

Sei da responsabilidade que se há em transmitir uma noção de senso crítico e conceitos. E apesar de não ser educador nem psicólogo, confio bastante em meu caráter e em meus princípios, em minha formação e em meus anos de estrada. As vezes meus pontos de vista são rígidos e morais até demais, mas suficientes para oferecer algum tipo de conforto para milhares de gays, dentro e fora do Brasil, que não tem por onde recorrer. Não se ensina sobre homossexualidade nem em casa, nem nas escolas ainda.

O Blog me aproximou de amigos importantes que, por mais que eles achem que quem ajuda sou eu, não fazem a ideia da grandiosidade que movem dentro de mim. Fato. Simples assim.

O MVG nunca irá agradar a todos. Haverão sempre os gregos que jogarão tomates e os troianos que abrirão sorrisos, se emocionarão ou se identificarão com as linhas. Assim é a vida, minha gente. E a gente se aproxima – na real e nas telas –  daqueles pessoas que buscam por uma convergência, por semelhanças, por esperanças. E se você não foi atrás de seus semelhantes, por ser gay e se sentir inferiorizado por isso, está perdendo seu precioso tempo porque, além de todas as questões que nos são exigidas, a vida é bastante curta.

Ainda sobre a “taxa de apreciação” do Blog, se a atual presidente só satisfaz 37% dos 200 milhões, quem sou eu para querer agradar a 100? (rs)

Sou orgulhoso desse projeto pessoal, que me oferece um ganho tremendo de conhecimento, me ajuda a organizar os pensamentos (função terapêutica), de referências de outras pessoas e do sentido de compartilhar, coletivizar, distribuir.

Existe uma certa exposição pessoal (necessária) para trazer mais lucidez e uma energia do pensar para gente suficiente, quando eu – MVG – sou apenas um.

O Blog não tem intenções de ter fins lucrativos, embora, empreendedor que sou, saiba que com esses números daria para ganhar dinheiro. Mas para quê capitalizar em cima de algo fundamentado na horizontalização e aproximação das pessoas? Já sou bem feliz em ter a minha fonte e, se precisar de outra, não precisa ser o MVG. Fazê-lo exclusivamente por prazer é o próprio prazer. (Talvez mude de ideia daqui há um tempo. Mas a ideia não é essa agora).

Assim, encerro o post de hoje agradecendo muitíssimo a todos que passam por aqui, aos quietos e aos participativos. De todos que frequentam o Blog (são em média 12 mil usuários por mês), são poucos que deixam registros sólidos e contínuos. Mas isso não é uma cobrança. É como o MVG se configura: pela qualidade e esperando que cada texto ajude a cada um desses 12 mil a olhar para si com olhos novos, todos os dias.

Quem sabe, talvez, daqui a pouco adoto fotos de sarados semi nus, contos pornográficos e textos curtinhos para ganhar mais audência? :P

Brincadeira, claro. Vamos continuar a privilegiar a cabeça de cima. Mesmo que algumas horas por semana, aqui, no MVG. :)

Eu me preocupo.

Beijo para quem é do beijo. Abraço para quem é do abraço!

 

 

4 comentários Adicione o seu

  1. Caio disse:

    E a pergunta que não quer calar, será que tem como saber quem mais escreveu comentários no blog? Queria saber se em pelo menos algo eu consigo ganhar kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Sumi por um tempo, mas acho que agora poderei voltar aos poucos rs.

    Até qualquer hora meu caro.
    ;)

    1. minhavidagay disse:

      Ahahaha… tem como ver sim. E o que posso dizer que você é o número 1! ;)

      69 comentários contra 48 do Lebeadle que está em segundo lugar – rs.

      Bjo!

  2. Caio disse:

    Ulalá, mas que número sugestivo, não?! kakakakakaka

    Valeu.

    bjo.

    1. minhavidagay disse:

      Rs rs… Agora são 70!

Deixe uma resposta