O que você escolhe?


Minha Vida Gay: E por falar em felicidade…

Dan Gilbert, um dos “bang, bang, bangs” atuais da psicologia, já discursou no TED para falar exatamente disso: felicidade. Extraindo a parte essencial de sua apresentação – segundo Dan – a felicidade está no filtro que se faz entre expectativas pessoais e projetadas de terceiros sobre um indivíduo com aquilo que realmente – numa conversa mais íntima que o indivíduo tem consigo – quer para si. Felicidade está na prática das vontades essenciais, ao máximo desprovidas de influências terceiras.

Lembro que, em seu depoimento, ele narra um pouco da vida de um ex-Beatle (o Pete Best) que no meio do caminho resolveu desistir de ser baterista da banda (ou “foi desistido”) – por justamente ser muito ruim como tal – e acabou por trilhar uma “vida ordinária ou medíocre”, do ponto de vista do que se tornariam os Beatles. Hoje, Best tem mais de 70 anos e é um senhor muito feliz, pai e avô. Era um dos integrantes mais belos e John Lennon, amigo íntimo a época, insistia para mantê-lo na banda. Ele sucumbiu entristecido por não ter seguido como um Beatle? Não. Mas as vistas de terceiros, do ideal social, da construção de mitos e do sentido que a própria sociedade cria da fama/riqueza, Pete Best tinha tudo para definhar por não ter seguido em frente, vivendo de arrependimentos sem fim!

Do ponto de vista do gay ou até mesmo de qualquer pessoa, até mesmo desprovida da sexualidade, construir expectativas muito descoladas da realidade ou entrar em uma neura para atender as expectativas de terceiros ou do sistema (principalmente dos pais, num fluxo natural de relações) nos afasta da felicidade. Esta é a teoria de Dan Gilbert. Quantos amigos ou colegas que hoje, aos 40 anos, que quiseram a vida toda seguir pelo corporativismo, pelo ideal de status e ideal social que a cultura corporativa confere, curiosamente, não suportam mais exatamente o mesmo? Eles seguiram o corporativismo por que intimamente queriam ou por que, no final, estavam colados a um ideal de expectativas externas?

Ao mesmo tempo, um indivíduo adulto que fica muito colado no passado, “de tempos que não voltam mais”, me parece carregar um tipo de carga que, igualmente, o descola da felicidade. Com ou sem Dan Gilbert, o “aqui e agora” me parece ser um dos melhores lugares para cultivar a felicidade.

Não tem como determinar fórmulas e a ideia deste post de hoje nem é essa. Já li por aí que o isolamento social mata a pessoa mais rápido e, no mesmo site, que jovens solitários tendem a ser mais felizes e, no final, sites assim me parecem querer audiência. O grande barato das colocações de Dan Gilbert é que ele “institucionaliza” a subjetividade da felicidade numa ideia que cabe a grande maioria: “você se sente bem longe dos contextos sociais e tumultuados? Não frequente baladas!”, “você se sente bem ao redor de muitos amigos? Vá ao encontro deles!”, “você não gosta de fazer musculação? Encontre um exercício que realmente te atraia!”.

Felicidade me parece ter muito de autoria, de escolhas e, consequentemente, de assumir de ponta a ponta as consequências das mesmas. “Sou gay, quero casar e ter filhos pois assim eu supro a minha ideia de felicidade” – Faça! Mas faça por você e não por causa da sociedade!

“Sou gay, não aguento mais a vida do armário, mas…” – tem certeza que vai dar energia ao “mas”? Apesar, contudo, todavia, mas, porém, é você determinando sua vida!

No final, Dan Gilbert coloca os seres humanos em um funil necessário para que sua “fórmula” realmente funcione: “numa conversa íntima, de você com você mesmo, livre do julgamento externo e ou de sua própria autocensura e autopreconceito, o que você quer para você mesmo?”. Taí uma pergunta que talvez seja respondida durante a vida toda…

Esse é ponto. Muita gente não sabe o que quer. Saber o que quer implica em escolhas e, escolhas, implicam em abrir mão de outras coisas em detrimento das próprias escolhas.

O que você escolhe para ser feliz? Irônico pensar que “gay” é uma palavra designada à alegria…


coach-de-vida-gay

Flávio Yukio Motonaga
www.lifecoachmvg.com.br

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s