Errata: Privilégios para gays no “Minha Casa, Minha Vida” faz sentido?

Acabei de postar um texto sobre os privilégios para os LGBT’s no projeto “Minha Casa, Minha Vida”, quando o leitor Nick corretamente me alertou sobre a veracidade da informação. Realmente, puxei a informação de um texto partidário (droga, cai no bate-rebate das mídias alternativas partidárias) e apresentei uma opinião errada. :(

O post foi deletado e, agora, buscando informação por meio das mídias tradicionais (Folha e Estadão), tal projeto do “Minha Casa” garante privilégios para os LGBT’s que sofreram algum tipo de abuso ou violência dentro do próprio lar e se refugiaram em albergues e casas de acolhimento do governo.

Nessas condições, entendo tal postura bastante válida, embora ainda levante polêmica sobre os privilégios aos gays frente a outros grupos. Eu mesmo, na minha juventude, fui ameaçado de expulsão pelo meu pai um punhado de vezes. Nenhuma delas relacionadas diretamente a minha homossexualidade, mas sim, à divergências de “gênios” (rs). Certa oposição (que me parece partidária) a esse benefício, se mostra avessa, tratando tal assunto como uma certa “ditadura gay”.

Será mesmo? O quanto é dituadura e o quanto é oposição partidária?

Novamente, assim como no post original, não quero trazer um sentido político aqui. Mas, como ação social que dá um privilégio a mais para aqueles gays que se refugiaram por questões de violência, dentro de casa, me parece bastante legítimo.

Obrigado, Nick, pelas suas rápidas considerações que me fizeram atentar para ver se não estava comentendo um equívoco. E estava! Desculpem aqueles que receberam o post anterior por e-mail, por seguirem o Blog MVG. Falhei com o ponto de vista sobre uma informação equivocada.

Tal texto não correspondia ao que considero coerente. Segue aqui a errata! :)

2 comentários Adicione o seu

  1. Nick disse:

    Que bom que meu comentário serviu para ajudar o MVG com suas sempre boas considerações. Se o programa fosse como você escreveu anteriormente, eu não acharia justo e correto, mas como é um privilégio a LGBTs em situações graves, acho válido.

  2. minhavidagay disse:

    Exatamente, Nick! Foi um furo meu. Agradecido novamente! :D

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.