Escravidão

Laurentino Gomes Interessantíssima a entrevista do jornalista Laurentino Gomes, escritor da obra atual “Escravidão”, livro que traz um olhar mais nítido e real das nuances da vinda dos negros ao Brasil. Seguindo a minha “tese” e reflexões atuais sobre “raízes dos problemas de nosso país”, o ponto alto da entrevista veio de um detalhe semântico:…

Meu irmão

Quantos parentes ou amigos se distanciaram por causa de política em 2019? Como se cisões realmente conferissem prazer. Algo quase que sádico ou masoquista, algo cheio de orgulho e a certeza de alguma “verdade”. Ainda gays e na maioria dos casos de família dos mesmos, é como se fosse uma conduta nobre virarmos as caras…

Fantasias do meu mundo

Minha visão dos melhores dos mundos Sigo uma das máximas filosóficas de René Descartes: “penso, logo existo”. Básico e não tenho problemas por gostar de pensar… Minha visão sobre a existência, em solo nacional, aponta para muitas transformações, seja sob a influência do fato de eu ser gay ou, simplesmente, por ser um pensante. Captando…

Midnight Diner: Tokyo Stories

Mais uma recomendação cultural produzida no Japão Trago aqui mais uma referência cultura com Midnight Diner: Tokyo Stories, outro seriado para o latino-cordial brasileiro que busca maneiras, formas e meios para rever seu entorno e, até mesmo, fazer um exercício para entender a própria maneira de ser. A cultura japonesa no Brasil é uma das…

Glenn Greenwald e Augusto Nunes

A treta entre Glenn Greenwald e Augusto Nunes A mim é uma ironia pois ambos, Glenn Greenwald e Augusto Nunes eram duas representações midiáticas que tinham respeito. Por um lado, Glenn Greenwald havia construído minha admiração a partir de suas entrevistas filmadas e realizadas ao representantes em época de eleições. O Intercept em si, no…

Terrace House

Quando sexualidade e gênero são assuntos distintos Foi na festa no apartamento de minha amiga que a mesma pergunta veio a mim algumas vezes, do namorado de um de meus amigos: “mas na cultura japonesa não tem nenhum indício que mostre intersecções entre cultura de gênero e um comportamento machista?”. Eu, descendente de japoneses e…

Gianecchini assume relações com homens

Sem gaveta Ele preferiu se referir a gavetas. Eu digo caixinhas. De todo modo, Reynaldo Gianecchini confessou há algumas horas em mídias, como a Isto É, que já teve relações homossexuais, mas diz não erguer bandeiras da homossexualidade. Não se diz bissexual, nem gay, nem hétero… e, vamos combinar, que no exato contexto social, 2019,…

Prazer pelo que se faz

Você sabe do que gosta? Existe um grande problema entre nós brasileiros-latinos-cordiais, embora não saberia dizer com dados estatísticos, mas muitas pessoas não são (ou não foram) educadas para identificar e se aprofundar naquilo que se gosta. O meu próprio sócio que, há 3 anos iniciou na minha empresa e veio de uma área totalmente…

Gay dos 37 aos 42 anos

Insight! Antes e depois Acabei de ter uma ideia e, como o Minha Vida Gay traz relatos pessoais desde meus 34 anos (são 8 anos e mais de 2 milhões de visualizações por aqui), resolvi pegar um post antigo, “A vida gay de um solteiro – Quase 37 anos” e fazer comentários e críticas com…

Gay, brasileiro e descendente de japoneses

Daqui, desse ponto de vista Gay, brasileiro e descendente de japoneses. Talvez, muito menos pela influência de ser gay, mas por ser brasileiro de descendência de japoneses, minha mente tem pairado em pensamentos sobre a nossa sociedade. Pulei das trivialidades e questões relacionadas ao público gay para algo que, pelo menos no meu imaginário, é…

Crivella: O Vingador

Prefeito do Rio de Janeiro para quê? Vamos combinar: a cidade do Rio de Janeiro está quebrada. E aí, Crivella, Vingadores?! As Olimpíadas de 2016, como previsto pelos mais esclarecidos, seria um rombo no orçamento com a certeza de que o investimento deixaria dívidas. Boa parte das estruturas utilizadas pelo evento estão às moscas, produzindo…

Agora sim, Amazônia

Bola de gude Por livre escolha, testando meu nível de vício por redes sociais, andei mais de um mês afastado delas, de postar uma ou outra aleatoriedade pessoal mas não ver (absolutamente) nada, de ninguém. A não ser que me marcassem; por educação, no mínimo um joinha. Desde dezembro de 2018, precisamente no período em…